Futebol Após classificação, auxiliar de Bustos celebra força do Santos na Vila

Após classificação, auxiliar de Bustos celebra força do Santos na Vila

Suspenso, Bustos não ficou no gramado no duelo contra o Coritiba. Desde que argentino chegou ao clube, Santos só venceu na Vila - são seis vitórias em seis jogos

Lance
Lance

Lance

Lance

A grande vitória e classificação do time do Santos na Vila Belmiro passou, na beira do campo, pelo auxiliar Lucas Ochandorena. Ele substituiu Bustos, que estava suspenso para o jogo após receber cartão vermelho na partida de ida, em Curitiba.


A primeira etapa do jogo começou com grande pressão do Peixe. A equipe até chegou abrir o placar, com Marcos Leonardo, mas o gol foi bem anulado por impedimento. O time visitante tentava puxar contra-ataque, mas sem grande sucesso.

Na volta do intervalo, porém, a equipe santista abriu o placar com o mesmo Marcos Leonardo, aos 2 minutos. Em seguida, Madson e Rodrigo Fernández completaram o marcador.

- Acredito que no primeiro tempo começamos bem, nos primeiros 10 minutos. Sabíamos que o rival ficaria atrás, que Alef Manga poderia perseguir o Madson e fazer uma linha de cinco. Depois, acredito que tentamos fazer a bola circular rápido com Lucas Pires e Madson. No intervalo, corrigimos algumas coisas, para que os jogadores tivessem um pouco de paciência. Graças a Deus conseguimos abrir o placar com Marcos Leonardo, depois com Madson e depois um pouco mais de vantagem e terminamos bem - explicou o auxiliar.

Com o triunfo, a equipe reverteu a derrota por 1 a 0 no Couto Pereira, jogo de ida da Copa do Brasil, e conquistou a classificação para as oitavas de final da competição. Vale destacar que, desde que chegou ao Santos, Fabián Bustos fez seis jogos na Vila Belmiro e mantém um aproveitamento de 100%. Sofreu seis gols e marcou 18.

- Sobre a comissão técnica anterior eu não posso falar. Só posso falar do que nós, e dos jogadores, as trocas que fizemos quando chegamos. Há seis anos que o Santos não ganhava tantas partidas seguidas em casa. Nos falaram que era importante sermos fortes em casa. E hoje a torcida, estádio cheio, é muito importante para os jogadores e para o clube - completou Lucas Ochandorena.

Últimas