Apesar do jejum, Marcão segue com aproveitamento melhor que Diniz e Oswaldo, no Campeonato Brasileiro

Fluminense não vence há três jogos e isso fez o Tricolor se aproximar perigosamente do Z4. Desafio é manter o desempenho, conquistando 52,3% dos pontos disputados

Lance

Lance

Lance

Após um início animador, o técnico Marcão já convive com um incômodo jejum de três jogos sem vencer sob o comando do Fluminense. A ausência de resultados positivos, ainda mais no Maracanã, fizeram o treinador escutar os primeiros gritos de burro, proferidos por uma parte da torcida, no empate diante da Chapecoense.

Apesar de ter conquistado apenas um dos últimos nove pontos disputados, Marcão ainda possui, com sobras, o melhor aproveitamento dentre os treinadores que comandaram o Fluminense na atual edição do Campeonato Brasileiro. Em sete jogos, o antigo auxiliar técnico soma três vitórias, dois empates e duas derrotas, conquistando 52,3% dos pontos disputados.

TABELA
Confira a classificação do Campeonato Brasileiro


Em seguida vem o seu antecessor, Oswaldo de Oliveira, que comandou o Fluminense em apenas seis jogos na competição, com duas vitórias, um empate e três derrotas, obtendo um aproveitamento de 38,8%. Vale lembrar que a demissão do experiente treinador, de acordo com o presidente Mário Bittencourt, não se deu por conta dos resultados, mas sim pelo gesto obsceno para os torcedores, após o jogo contra o Santos, impossibilitando a continuidade.

Por último está Fernando Diniz, que possui o pior desempenho, tendo o maior tempo no cargo. Foram 15 rodadas à frente do Fluminense no Brasileiro, somando apenas 12 pontos, com três vitórias, três empates e oito derrotas, aproveitamento de 26,6%. Foi demitido após uma derrota no Maracanã para o CSA, deixando o Tricolor na antepenúltima posição.

Nesta quarta-feira, Marcão terá mais um desafio, tendo pela frente o Ceará, no Castelão. Assim como o Fluminense, o Vozão também possui 30 pontos, sendo um confronto direto na luta contra o rebaixamento. Caso não vença, o Tricolor, com Marcão, pode entrar pela primeira vez no Z4.

EQUILÍBRIO DEFENSIVO

O grande mérito de Marcão foi detectar o principal problema do Fluminense, que sofria muitos gols. Com o treinador, o time levou apenas seis, média de 0,86 gol por jogo. Com Oswaldo de Oliveira, a média foi de 1,33, enquanto com Diniz, a equipe sofreu 1,66 gols.

Em compensação, hoje em dia, o Tricolor marca menos gols do que na época do atual treinador do São Paulo. Com Marcão, são sete jogos e sete gols marcados, um por partida. Já com Diniz, a média é um pouco superior, 1,36, com 19 gols em 14 jogos. Com Oswaldo, foram apenas três gols em seis rodadas. Os dados só levam em consideração o Campeonato Brasileiro.

NÚMEROS DOS TREINADORES

Marcão - 7 jogos - 11 pontos - 52,3% de aproveitamento

3 vitórias - Grêmio, Botafogo e Bahia
2 empates - Cruzeiro e Chapecoense
2 derrotas - Athletico e Flamengo

Oswaldo de Oliveira - 6 jogos - 7 pontos - 38,8% de aproveitamento

2 vitórias - Fortaleza e Corinthians
1 empate - Santos
3 derrotas - Avaí, Palmeiras e Goiás

Fernando Diniz - 15 jogos - 12 pontos - 26,6% de aproveitamento

3 vitórias - Grêmio, Cruzeiro e Internacional
3 empates - Flamengo, Chapecoense e Ceará
9 derrotas - Goiás, Santos, Botafogo, Bahia, Athletico (estava suspenso), Vasco, São Paulo, Atlético e CSA