Futebol Andrés diz que Timão está perto de acordo por naming rights da Arena

Andrés diz que Timão está perto de acordo por naming rights da Arena

Em rede social, presidente confirma que desfecho está próximo e avisa que marca envolvida nas tratativas nunca estampou a camisa do clube alvinegro: 'Já já vem'

Lance
Lance

Lance

Lance

O torcedor do Corinthians teve motivos para ficar eufórico neste domingo (23). O presidente Andrés Sanchez afirmou que o clube está "bem perto" de fechar acordo comercial para a exploração do nome da Arena Corinthians - modelo de negócio conhecido pela expressão "naming rights". A declaração do dirigente foi feita em sua página oficial no Twitter no fim da tarde. O dirigente acrescentou ainda que a marca envolvida no acordo "nunca esteve na camisa do Timão", dando mais um elemento para o suspense.

Desde a inauguração da Arena, em 2014, o tema tem sido pauta permanente, gerando sempre repercussão. Em várias oportunidades, especulou-se a respeito de acordos e da proximidade de um anúncio, mas o negócio jamais vingou. Nesta semana, o assunto voltou a agitar os bastidores após comentarista Neto noticiar que o clube havia formalizado acordo de R$ 400 milhões. A informação foi dada pelo ex-jogador no programa "Donos da Bola", da TV Bandeirantes na segunda-feira (17).

Na ocasião, o clube emitiu nota oficial desmentindo que as negociações de cessão dos naming rights já estivessem concluídas. No mesmo dia, Sanchez escreveu em suas redes sociais que havia conversas em curso e reconheceu a possibilidade de ter boas notícias para a torcida "em breve".

A reportagem do LANCE! apurou que o negócio está mesmo em vias de se concretizar. O contrato teria vigência de 20 anos e a empresa detentora dos naming ritghts desembolsaria aproximadamente R$ 350 milhões.

A comercialização dos naming rights, que se arrasta sem conclusão há quase uma década, é um grande desejo da Fiel e das gestões mais recentes, pois daria considerável alívio para o pagamento do financiamento do estádio, que no momento passa por renegociações em várias frentes.

Últimas