Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

ANÁLISE: Luxa tem 11 dias para recuperar um ano no Corinthians

Após o primeiro semestre cheio de erros de planejamento, o Timão terá a pausa na data Fifa para que o seu treinador tente colocar a...

Futebol|

Lance
Lance Lance

Não há um treinador de futebol sequer no Brasil que não defenda a necessidade de ter mais tempo para treinar a sua equipe. Vanderlei Luxemburgo no Corinthians, por exemplo, dirigiu o time alvinegro no dia seguinte à sua chegada e primeiro treino comandado e, desde então, comandou o Timão novamente em 11 jogos por três competições diferentes. Agora, ele terá 11 dias de intervalo entre o último compromisso, que aconteceu neste sábado (10), contra o Cuiabá, e o próximo, contra o Santos, no dia 21 de junho.

Mas, ainda que tenha esse período sem jogos, ele é infinitamente menor do que o desafio que Luxa tem à frente do TIme do Povo. Questionado pelo baixo aproveitamento desde que assumiu o comando corintiano - 27,7%, com somente duas vitórias -, Vanderlei tem a responsabilidade de estruturar um semestre em menos de duas semanas e salvar a temporada corintiana. Isso porque na última vez que o clube teve um hiato que permitiu um melhor período de preparação, a diretoria errou o planejamento. Eliminado no Paulistão no dia 12 de março, o Time do Povo só voltaria a entrar em campo no dia 6 de abril. A direção, no entanto, optou pela manutenção do técnico Fernando Lázaro, mesmo com a eliminação precoce no Estadual, ainda nas quartas de final, mas o demitiu quatro jogos depois, fazendo com que o sucessor tivesse que ‘trocar pneu com o carro em movimento’.

+ Todos os jogos do Brasileirão você encontra no Prime Video. Assine já e acompanhe o seu time do coração!

O tempo pode até ter minimizado a responsabilidade de Lázaro, mas só escancarou os erros do departamento de futebol corintiano, que se perdeu na busca do treinador seguinte, viu o próprio Fernando dirigindo o time indiretamente em campo em um clássico contra o Palmeiras, e contratou Luxemburgo justamente em meio a uma maratona de jogos decisivos no mata-mata e importantes nos pontos corridos. Agora, frente à pressão pelos resultados já respingando no treinador, a convicção da diretoria é que a pausa para a data Fifa será fundamental para que as coisas sejam colocadas no prumo. Mas se esquece a cúpula do clube alvinegro que 10 dias sem jogos pode até ser muito tempo se comparado com a loucura do calendário do futebol brasileiro, mas não é praticamente nada quando você precisa estruturar um planejamento arrasado.

Publicidade

Luxemburgo afirmou após o empate com o Cuiabá que o elenco corintiano não aguenta disputar três competições simultaneamente, o que mais uma vez lança luz às falhas de planejamento da gestão corintiana, já que a folha salarial em torno dos R$ 12 milhões mensais, que é pouco menor do que times como Palmeiras e Atlético-MG, que disputam nas partes altas as competições que participam.

+ Ruan Oliveira entra no segundo tempo e evita derrota do Corinthians contra o Cuiabá

Publicidade

E o pior é que, mesmo com a eliminação na Libertadores, confirmada na última quarta-feira (7), o Timão ainda pode ter três campeonatos para disputar ao mesmo tempo no segundo semestre, já que basta um empate em casa com o Liverpool, do Uruguai, no próximo dia 28, que o clube alvinegro conseguirá beliscar um espaço nos playoffs da Copa Sul-Americana. Assim, caberá a Luxemburgo usar os próximos 10 dias para planejar o que vai priorizar em colocar essa ideia na mente dos jogadores. Duelo contra o Liverpool, do Uruguai, no dia 28 de junho, definirá se o Corinthians disputará duas ou três competições no segundo semestre (Foto: FocoUy/AGIF)

Contra o Cuiabá, a mostra é que ainda há muito a se fazer. O time tem pouco repertório ofensivo, mesmo quando tem mais a bola, segue sentido muito a ausência de Renato Augusto e precisa ser mais efetivo no terço final, já que atualmente vê o seu centroavante principal viver uma péssima, e aparentemente interminável, fase, e a alternativa que está em bom momento, que é Róger Guedes, não rende tanto quando atua centralizado e próximo da área.

Serão 10 dias que Luxa terá para fazer ajustes técnicos, táticos, estratégicos e psicólogos em um grupo que até agora deu apenas poucas respostas e esporádicas na temporada. Então, se o tempo parece bastante, os problemas, ajustes necessários e as perspectivas após a data Fifa também são muitas.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.