Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Esporte - Notícias sobre Futebol, Vôlei, Fórmula 1 e mais
Publicidade

ANÁLISE: Fluminense dá aula de como se jogar Libertadores em vitória sobre o Olimpia

Tricolor conquistou bom resultado no jogo de ida das quartas de final

Futebol|Do R7


Lance
Fluminense viaja para o Paraguai com boa vantagem na mala em busca da semifinal da Libertadores (FOTO DE MARCELO GONÇALVES / FLUMINENSE FC)

Na vitória do Fluminense sobre o Olimpia, a equipe comandada por Fernando Diniz não apenas conquistou um grande resultado em busca da classificação para a semifinal. O Tricolor provou como deve-se jogar uma Libertadores.

Ao contrário do que fez o Flamengo, o Time de Guerreiros empurrou e amassou o time dirigido por Chiqui Arce. Fez 2 a 0, mas poderia ter feito mais, como os torcedores pediram. E não sofreram sustos de um rival organizado, mas que tem um nível bem abaixo. Atuou como deveria ter atuado.

Mas não é possível tirar os méritos da grande vitória devido a fragilidade do Olimpia. Até porque estamos falando de uma equipe que eliminou o atual campeão da Libertadores. E o maior sortudo nessa história foi o Flamengo, que escapou de sofrer mais uma terrível derrota para o Fluminense em 2023.

Um dos pontos mais interessantes vistos no Maracanã foi a sinergia entre os torcedores presentes nas arquibancadas e o time em campo. Ao contrário do duelo contra o Argentinos Juniors, em que os fãs se mostraram impacientes em determinados momentos. O apoio foi imenso e os mais de 64 mil presentes foram pacientes até o gol de André.

Publicidade

Além da torcida, Fernando Diniz ousou e surpreendeu a todos com a entrada de John Kennedy na equipe titular e a presença de quatro atacantes de início. E a estratégia deu muito certo, uma vez que o Time de Guerreiros conseguiu segurar os paraguaios no campo de defesa e conseguiu ter espaço com jogadores, como Keno e Diogo Barbosa, que infernizaram os adversários.

Desde o fim do primeiro tempo, a sensação era de que o segundo gol seria uma questão de tempo. E foi. Germán Cano anotou seu sétimo gol na Libertadores e alcançou a artilharia da competição ao lado de Paulinho, do Atlético-MG, que já não disputa mais o torneio.

Publicidade

A equipe de Fernando Diniz controlou o duelo nos últimos 30 minutos e poderia ter saído com um placar elástico e praticamente classificado do Maracanã. Sem vencer fora de casa há mais de três meses, o confronto da próxima semana será mais uma provação para um elenco que vem demonstrando maturidade e sabedoria de campeão.

Nessa trajetória de nove partidas, o Fluminense superou o chamado “Grupo da Morte” com a liderança, conseguiu um grande resultado no Maracanã contra a melhor equipe da fase de grupos e tem o artilheiro da Libertadores. É preciso tratar o Tricolor como ele merece, que é como um dos favoritos dentre os oito times que disputam a competição até aqui.

Mas assim como não deu brecha para o azar no Maracanã, o Time de Guerreiros precisará suportar a grande pressão que virá das arquibancadas do Defensores del Chaco, na próxima quinta-feira (31). E confirmando o favoritismo e conquistando a classificação de forma matemática, o Flu terá todas as credenciais para seguir em busca do inédito título da Libertadores.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.