Futebol ANÁLISE: Corinthians constrói a própria sorte para conseguir vitória mais importante do ano

ANÁLISE: Corinthians constrói a própria sorte para conseguir vitória mais importante do ano

Gol contra premiou sólida atuação do Timão, que conseguiu três pontos fundamentais na Libertadores

Lance
Lance

Lance

Lance

O gol contra bizarro de Caldera selou a vitória do Corinthians contra o Deportivo Cali-COL, em uma partida na qual o Timão foi superior, mas precisou de um toque de sorte para conseguir os três pontos mais valiosos da temporada até aqui.

> GALERIA - Fagner e Mantuan se destacam em vitória do Timão; veja notas

Isso porque, caso não ganhasse da equipe de Rafael Dudamel, o alvinegro paulista ficaria em último lugar no Grupo E, com dois jogos seguidos contra o Boca Juniors, que em tese, é o adversário mais complicado da chave.

Para a partida contra o Cali, Vítor Pereira mudou cinco peças em relação ao triunfo por 3 a 1 contra o Botafogo. As principais surpresas foram Jô recebendo chance na equipe titular, e João Victor no banco de reservas.

> GUIA LIBERTADORES - Tudo o que você precisa sabe sobre o Timão na Liberta

Após o susto inicial, o Timão retomou o controle e dificultou a saída de bola dos colombianos. O Corinthians explorou e concentrou os seus ataques pelo lado esquerdo da defesa adversária, com Fagner e Mantuan.

Os dois se entenderam muito bem pela direita. Em diversos momentos do jogo, o camisa 23 ficava posicionado por dentro, deixando Mantuan colado na lateral, favorecendo as ultrapassagens do defensor.

Foi assim que o time do Parque São Jorge criou as suas melhores oportunidades. Mesmo com oito finalizações na primeira etapa, faltava algo para deixar os brasileiros em vantagem.

> TABELA - Vai passar? Confira e simule os jogos do Corinthians na Libertadores

Aos 15 minutos do segundo tempo, o treinador português percebeu a queda de rendimento físico da equipe e começou a promover alterações no time. Entraram Piton e Du Queiroz.

O primeiro ajudou nas infiltrações pela lado esquerdo, pouco utilizado nesta ocasião. Já o volante foi importante para oxigenar a saída de bola e melhorou a presença física no meio-campo.

O torcedor mais pessimista encarava o relógio como um inimigo, mas a sorte sorriu para o time que mais mereceu vencer a partida, e aos 22 minutos, Caldera fez a Fiel torcida entrar em êxtase.

Com a vantagem, o Corinthians soube se comportar nos minutos finais e saiu da Neo Química Arena com três pontos fundamentais para os objetivos do time na temporada.

Agora, a tendência como indicou Vítor Pereira, é de um rodízio na equipe para os próximos dois compromissos (Avaí e Portuguesa-RJ), e utilizar o time ideal, ou próximo disso, se o desgaste físico permitir, contra Palmeiras e Boca Juniors.

Últimas