Futebol ANÁLISE: Como o Flamengo pode substituir Éverton Ribeiro?

ANÁLISE: Como o Flamengo pode substituir Éverton Ribeiro?

Jogador deixou o clube rumo ao Bahia

Lance
Lance

Lance

Lance

O Flamengo já iniciou o seu planejamento para a temporada 202 sem contar com o ídolo Éverton Ribeiro. O ex-camisa sete do time se despediu do clube e vai jogar no Bahia neste ano. Multicampeão pelo Rubro-Negro, o jogador chegou em 2017 e entregou uma característica única: sabia atuar como ponta e como um camisa 10. Como o time da Gávea pode suprir a ausência do meia-atacante?

Difícil apontar a melhor versão do craque com o manto. Mas em 2019, 2020 e 2022, o destaque de Éverton foi além. E, nessas três temporadas, o jogador atuava pela ponta direita e dividia as responsabilidades de um camisa 10 com Arrascaeta, Gerson, Diego e Andreas Pereira.

➡️ Siga o Lance! no WhatsApp e acompanhe em tempo real as principais notícias do esporte

Todos esses podem fazer bem a função de um meia clássico com capacidade de criação. Porém, nenhum deles consegue entregar o que Éverton faz pela ponta. Velocidade, drible no um contra um, chegar na linha de fundo, cortar para dentro e finalizar, características que fizeram Tite - hoje no Flamengo - levar Ribeiro para a Copa do Mundo de 2022.

COMO ESTÁ O ELENCO?類

Hoje, o elenco do Flamengo tem Luiz Araújo e Matheus Gonçalves - retornando de empréstimo - como opções para a ponta direita. Nenhum dos dois com a leitura de jogo e capacidade de temporizar jogadas como Éverton Ribeiro. Os dois são pontas mais agudos, que buscam o drible para finalizar ou cruzar.

Para a função de armação, Arrascaeta segue como uma das referências do time e prossegue dividindo essa responsabilidade com Gerson. A chegada de De la Cruz, ex-River Plate, é mais uma opção no meio campo para ajudar a organizar o time. Mas nenhum desses pode dar ao Rubro Negro a versatilidade que o ex-camisa sete entregava dos lados do campo.

O QUE TITE PODE FAZER?

Por mais que Éverton Ribeiro não estivesse sendo titular nas últimas partidas, existia uma expectativa de que o ex-capitão fosse aproveitado por Tite, com quem trabalhou na Seleção Brasileira. Porém, a não permanência do jogador indica que não houve desejo do treinador de contar com o atleta. Ou, pelo menos, não o suficiente para convencer a diretoria.

Assim, o gaúcho agora precisa achar alternativas no elenco para surprir a saída de Ribeiro. Quando Tite precisar de um ponta com mais agressividade para atacar pelo lado do canto, a preferência por Luiz Araújo - que herdou a camisa 7 - ficou clara. Mesmo com Éverton no time, o jogador já recebia a confiança do treinador. O comandante ainda tem Matheus Gonçalves, que retornou do Bragantino, e Gabigol, que - apesar de não desmonstrar o seu melhor por ali - já atuou caindo pela ponta direita.

Agora, quando Tite precisar de um ponta que ajuda na criação com o meio de campo, o treinador precisará de uma nova estratégia. A chegada de De La Cruz pode ser uma solução. O uruguaio pode atuar como um meio-campista com liberdade para circular e deixar os laterais-direitos com a responsabilidade de atacar em profundidade. A presença de Matheusinho e Wesley no elenco, dois jogadores com essa característica, e o investimento pesado no ex-River Plate apontam essa opção como uma forte candidata a acontecer de fato.

Últimas