Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Esporte - Notícias sobre Futebol, Vôlei, Fórmula 1 e mais
Publicidade

ANÁLISE: Botafogo vence no 'piloto automático' e reforça protagonismo no Brasileirão

Vitória por 2 a 0 sobre o Red Bull Bragantino é construída nas convicções do time, sólido na defesa e letal no ataque

Futebol|Do R7


Lance
O Botafogo não joga o futebol mais vistoso, mas sem dúvida é o time mais consistente do Brasil (Vitor Silva/Botafogo)

O Botafogo fez mais uma vítima no Campeonato Brasileiro e segue quebrando recordes na competição. Ao vencer o Red Bull Bragantino por 2 a 0, o Glorioso chegou aos 39 pontos, maior pontuação em 15 rodadas dos pontos corridos. De quebra manteve os 100% de aproveitamento jogando no Nilton Santos, com oito triunfos consecutivos em casa. Resultados impressionantes que fazem do Alvinegro o time a ser batido.

Impressiona a consistência desse Botafogo, que vem passando por mudanças e mesmo assim não perde o rumo. Perdeu Luís Castro, chegou o interino Cláudio Caçapa e o time seguiu vencendo. Na lateral-direita perdeu Rafael por lesão, entrou o Di Plácido e a equipe continuou ganhando. Antes havia perdido Victor Sá, que deu espaço para Carlos Alberto, que marcou três gols nos últimos quatro jogos.

+ Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Isso se explica pelo DNA do time, que joga da mesma maneira, independentemente do adversário ou dos desfalques. O Botafogo tem um sistema defensivo sólido, baseado na aplicação tática e na força física, mas também no brilho individual de Lucas Perri e Adryelson, destaques absolutos deste Brasileirão. Na frente, o time é letal e cria chances muitas das vezes no erro do adversário, como aconteceu nos dois gols sobre o Red Bull Bragantino. Mérito de uma equipe que também os provoca, levando o rival muitas vezes ao limite.

Publicidade

Quem assiste o Botafogo jogar não se encanta pela plasticidade, mas fica impressionado com a objetividade. Lucas Perri quase nunca toca na bola, porque o time a todo momento busca jogar para frente, buscando o passe vertical, sem pudor nenhum de tentar a ligação direta para os atacantes Tiquinho Soares e Júnior Santos, quando a marcação adversária está encaixada.

+ Em último jogo como técnico do Botafogo, Caçapa se despede com vitória e diz: ‘Dever cumprido’

Publicidade

É uma equipe que sabe o que fazer e como fazer. A convicção em campo dá a sensação de que o Botafogo vai marcar um gol mais cedo ou mais tarde. Foi assim nas vitórias sobre o Vasco, Grêmio, Patronato e Red Bull Bragantino. E para isso acontecer, nem precisa apelar para o craque do time, já que Tiquinho Soares não marca desde a vitória sobre o Palmeiras e mesmo assim o Glorioso segue... vencendo.

O Botafogo joga no "piloto automático", confiante e seguro, com e sem a bola. A vantagem na liderança indica que o título é muito possível, desde que Bruno Lage não tente criar nada. Manter o que está dando certo precisa ser o caminho a ser seguido pelo português. Time que está ganhando, não se mexe.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.