Futebol Análise: Botafogo faz o dever de casa, supera polêmicas de arbitragem e segue vivo na luta pelo acesso

Análise: Botafogo faz o dever de casa, supera polêmicas de arbitragem e segue vivo na luta pelo acesso

Para se manter na cola do G4, o Alvinegro tinha a obrigação de vencer o lanterna da Série B; mesmo com polêmicas de arbitragem, o time não se desconcentrou e garantiu a vitória

Lance
Lance

Lance

Lance

Foi com emoção e muita polêmica, mas o Botafogo fez o dever de casa. Na noite do último domingo, o Alvinegro Carioca venceu o Brasil de Pelotas por 1 a 0, no Nilton Santos, em partida válida pela 18ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Com o resultado, o time de General Severiano se consolida como o melhor mandante da competição e se garante vivo na briga pelo acesso à elite do futebol brasileiro.

> ATUAÇÕES: Carli faz o gol da vitória do Botafogo e fica com a melhor nota

No começo da partida, foi possível notar que o Botafogo não esperava a postura agressiva do Brasil de Pelotas. Ao invés de se defender, o time gaúcho subiu as linhas, marcou pressão em determinados momentos e foi para cima do Glorioso. Dessa forma, o Xavante até chegou perto do gol de Diego Loureiro, mas ficou devendo na qualidade para concluir as jogadas criadas.

O Botafogo, por sua vez, demorou a engrenar no jogo e só teve uma grande chance nos primeiros 25 minutos de partida. Depois, o Alvinegro começou a "gostar do jogo", se impor e, consequentemente, balançar as redes. Após algumas tentativas, o time de Enderson Moreira encaixou uma boa troca de passes num momento em que a defesa da equipe Xavante estava desguarnecida para marcar o que seria o único gol do confronto.

> Veja e simule a tabela da Série B

Depois do gol, o Botafogo foi amplamente superior ao Brasil de Pelotas e chegou a ter chances de ampliar a vantagem, mas não o fez, o que trouxe certa emoção à reta final do confronto. Já no segundo tempo, inclusive, a primeira boa chance do time gaúcho veio numa tentativa de gol olímpico, que surgiu aos 16 minutos.

- Nós tivemos os erros de arbitragem, que são erros que realmente podem fazer muita diferença no jogo, e muitas situações que a gente poderia ter aproveitado mais e isso foi falado no vestiário com os atletas. Aproveitar um pouquinho melhor, caprichar um pouco mais naquele momento de definição, porque foram situações em que a gente não chegou nem a finalizar, mas eram situações que, se a gente acerta esse último passe, fatalmente a gente faria o gol - admitiu o técnico Enderson Moreira, em coletiva.

Mesmo assim, essa emoção desnecessária gerada por não matar o jogo não pode ir inteiramente na conta do Botafogo. Num intervalo de dez minutos, a arbitragem não marcou dois pênaltis que seriam a favor do Alvinegro Carioca e não expulsou Arthur, do Xavante, depois de uma falta em Diego Gonçalves. Nesse último lance, o zagueiro era o último homem e impediu que o atacante ficasse cara a cara com o goleiro Matheus Nogueira.

Assim, o Botafogo poderia ter tido, pelo menos, duas chances para ampliar a vantagem ou ter um jogador a mais durante praticamente todo o segundo tempo. No entanto, o time de Enderson Moreira foi resiliente: não se abateu com os três erros da arbitragem e, mesmo sem conseguir matar a partida, segurou a onda e impediu o empate do Brasil de Pelotas.

Para continuar na cola do G4 da tabela de classificação, o Botafogo volta a campo na próxima quarta-feira, às 19h, no Brinco de Ouro da Princesa, onde enfrenta o Guarani. A partida é válida pela 19ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro.

Últimas