'A volta de uma lesão sempre custa muito', admite Suárez

Ao site oficial do Barcelona, atacante uruguaio fala sobre volta aos trabalhos depois de ter se recuperado de lesão no joelho em meio a pandemia

Lance

Lance

Lance

Além da natural necessidade de isolamento social diante da pandemia do novo coronavírus, o atacante Luis Suárez também precisou utilizar o tempo de quarentena para se recuperar de contusão no menisco do joelho direito contraída ainda em janeiro desse ano.

E, com a autorização da volta aos trabalhos para o plantel do Barcelona, o jogador comentou para o site oficial do clube quais eram as suas primeiras impressões no retorno. Tanto pensando na questão individual de recuperação da lesão bem como as adaptações necessárias aos treinos por conta dos protocolos sanitários.

- Me encontro muito bem, me adaptando aos treinamentos com os meus companheiros. A volta de uma lesão sempre custa muito porque você está com certo medo, mas estou desfrutando de poder me exercitar com meus companheiros. (o confinamento) É complicado com as crianças porque elas também tem trabalhos da escola, mas muita gente passou por coisas piores. Fiquei treinando em casa e esperando que pudéssemos voltar a nos exercitar. A medida que passa o tempo vai se normalizando tudo, apesar de ter morrido tanta gente. Agora poderemos desfrutar um pouco mais e as crianças poderão sair para passear - disse o avante.

Além da possibilidade de conquista da LaLiga 2019/2020 com a vantagem de momento na liderança sendo de dois pontos para o segundo colocado, o Real Madrid, Suárez terá no retorno dos jogos a oportunidade de ultrapassar, na artilharia histórica do clube, o ex-atacante húngaro do Barça Laszlo Kubala. Enquanto o Pistolero acumula 191 gols em 270 partidas, o falecido jogador que defendeu a equipe catalã nas décadas de 50 e 60 anotou 196 tentos em 254 aparições.

- Estamos nos adaptando a jogar com tanto calor e fazê-lo sem público será peculiar. Nos concentraremos em ganhar as partidas para conquistar a Liga, que é o que queremos todos. Os recordes ou metas vem por si só. Tenho que me concentrar em ajudar a equipe ao máximo. Se existe a possibilidade de superar um jogador histórico como Kubala, sempre é bem-vindo deixar uma marca bonita em um clube tão grande como o Barça - relatou Suárez.