Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Forte, Thiago Wild tem um caminho interessante em Roland Garros. Bia Maia espanta fantasmas

Blog comenta o ótimo dia brasileiro com as vitórias de Thiago Wild e Bia Maia, além do triunfo nas duplas mistas

Lance|

Lance
Lance Lance

Mais um belo dia para o tênis brasileiro em Roland Garros. Thiago Wild e Bia Maia avançaram para a terceira rodada. Ainda tivemos a emocionante vitória nas mistas de Luisa Stefani e Rafael Matos.

Bia Maia espantou fantasmas com a dura vitória sobre a russa Diana Shnaider, 108ª do mundo. Grand Slam é assim mesmo, nem sempre você jogará bem o tempo inteiro e o que importa é achar a maneira mesmo jogando mal para avançar, algo que a brasileira vinha batendo na trave nos Grand Slams.

Ela finalmente fura a barreira da segunda rodada e quebra uma escrita de 34 anos do tênis feminino brasileiro em simples. Nossas últimas meninas na 3ª rodada foi na França em 1989 com Dadá Vieira e Niege Dias. Curiosamente foram juntas e nunca mais até esta edição.

Findado esse carma, Bia Maia terá uma terceira rodada dura contra a cabeça 23, Ekaterina Alexandrova, da Rússia, e poderá jogar com um pouco menos de pressão sabendo que não é franca favorita.

Publicidade

Thiago Wild voltou a mostrar FORÇA e MATURIDADE.

Um jogo perigoso contra o experiente Guido Pella onde muitos poderiam se perder após tamanho feito alcançado no triunfo contra Daniil Medvedev na quadra central na terça-feira. Se mostrou firme no mental, nos golpes de fundo e no físico. O jogo de hoje durou quase três horas e o brasileiro não aparentou qualquer cansaço derivado da batalha na 1ª rodada. Esteve bem na maioria dos pontos decisivos e foi para as bolas com potência e precisão.

Publicidade

A expectativa só aumenta com o que estamos vendo dentro de quadra e a confiança que ele vem exibindo.

A terceira rodada será contra o japonês Yoshihito Nishioka. Um jogador que não se pode menosprezar, mas que é bem ganhável.

Publicidade

O caminho de Thiago começa a ficar mais interessante. Pode ter um Etcheverry (ARG) ou Borna Coric (CRO). O croata é um grandíssimo jogador e vem bem no saibro (semi de Madri), mas suou para ganhar em cinco sets hoje. Outro jogador que é duro, mas acessível.

Jannik Sinner foi eliminado e abriu aquela parte mais acima para potencial quartas de final que agora teria Altmaier, Zverev ou Molcan e Tiafoe como potenciais rivais. Nenhum bicho-papão.

Publicidade

Se continuar jogando esse tênis, o sonho de ver Wild em uma semifinal tem grandes chances de virar uma realidade.

Curtinhas:

Se passar para as oitavas, Wild vai quebrar uma escrita de 13 anos sem brasileiros na segunda semana em um Grand Slam. Thomaz Bellucci em Paris 2010 foi o último. Perdeu para Nadal

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.