Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Esporte - Notícias sobre Futebol, Vôlei, Fórmula 1 e mais
Publicidade

Festa, alegria e elogios: a primeira partida do Atlético-MG na Arena MRV

O Galo venceu o Santos, por 2 a 0, na partida de inauguração de seu novo estádio

Lance

Lance|Do R7


Lance
LANCE

O Atlético-MG venceu o Santos, por 2 a 0, na tarde desse domingo (27), pelo Campeonato Brasileiro. Todavia, o triunfo sobre o Peixe foi apenas a cereja do bolo. Afinal, a partida representou o início das operações da Arena MRV, a nova casa do Galo.

O duelo colocou frente a frente dois clubes em situação problemática. O Santos pior, é verdade. O time da Vila luta com todas as suas forças para escapar da queda para a Série B. Os erros de planejamento e o elenco enfraquecido, todavia, mostram que o Peixe nada contra a correnteza.

+ Copo Stanley a partir de R$120,00. Bebida gelada nos 90' de jogo do Galo!

Do outro lado, o Galo. Um time que pensou em título, depois em uma vaga na próxima edição da Copa Libertadores e agora se contenta em permanecer na Série A, talvez uma "vaguinha" na fase preliminar da Libertadores. Qualquer resultado, porém, será muito aquém dos R$ 14 milhões investidos mensalmente em um grupo com atletas renomados.

Publicidade

Enfim, era o jogo de estreia da Arena MRV. A nova casa do Galo. Local que recebeu torcedores quando tudo era literalmente mato, para um churrasco de comemoração pelo início das obras. A casa ficou pronta. E está linda.

A Arena MRV fica no bairro Califórnia, em Belo Horizonte. Facilidade de acesso para os torcedores, afinal, fica próxima de uma Estação do Metrô da capital mineira, portanto, consegue ligar a região norte de BH a arena. Além disso, fica ao lado da Via Expressa, uma importante avenida que liga o centro da cidade à Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Publicidade

Teve trânsito, engarrafamento e bastante lentidão. Parte pela normalidade disso, outra pela ausência de obras de infraestrutura que serão feitas nos meses seguintes. O entorno da arena, aliás, tem ganhado obras e melhorias constantes.

Dentro da Arena MRV teve muita organização. O Galo teve grande preocupação com o temido "ponto cego". Por isso, deixou seguranças no local para evitar que pessoas ficassem paradas nesses pontos. Diante disso, as pessoas portadoras de necessidades especiais não tiveram problemas e acompanharam o jogo. Banheiros limpos, placas com informações, funcionários treinados para acabar com as dúvidas.

Publicidade

Um dos grandes problemas apontados por torcedores foi a internet. Afinal, com a facilidade do pix, as pessoas não querem mais andar com dinheiro. Mas a bola aí bateu na trave: sem internet, sem pix e sem pix, sem comida e bebida. A situação foi contornada no início do primeiro tempo, mas causou desconforto e reclamação.

No intervalo do jogo, chegou a informação que "o rango acabou". Erro no planejamento. E justamente em Minas Gerais acabar o tropeirão com torresmo crocante? Aí é um duplo erro.

No fim das contas, embalados pela vitória, os atleticanos elogiaram bastante a experiência. As notas mais baixas em uma escala de 0 a 10 ficaram em oito, sendo que foi considerada apenas a primeira operação oficial. Mas a massa votou 10 pela nova casa.

O Galo volta a Arena MRV somente no dia 16 de setembro, contra o Botafogo. Até lá, somente mais um jogo, contra o Athletico, fora de casa.

A IMPRENSA

Os jornalistas tiveram também seus problemas. Na entrada, liberada às 12h em ponto, os próprios funcionários da Arena MRV estavam com dúvidas de onde seria o credenciamento. A reportagem deu uma volta inteira no estádio até ser informada que o local correto era outro. Ao chegar, todos foram liberados após credenciamento facial, que funcionou perfeitamente.

Nas cabines, outros problemas: a internet caiu e só retornou, aos poucos, no início do primeiro tempo. Água não tinha. Para matar a sede, era preciso gastar R$ 6 em um copo pequeno.

E o ponto cego? Ele estava ali. Justamente para os responsáveis de ser os olhos de vários outros. A Arena MRV não foi bem pensada considerando a imprensa. Para ver todo o gramado, os jornalistas teriam de ficar em pé ou em posição sem conforto sentado. Isso terá de ser replanejado, mas é notório que será simples de resolver.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.