Lance Felipe Albuquerque faz um resumo dos dois anos como Diretor Executivo de Futebol do Paysandu

Felipe Albuquerque faz um resumo dos dois anos como Diretor Executivo de Futebol do Paysandu

Dirigente falou sobre o trabalho no Papão em sua conta na rede social

Lance
Lance

Lance

Lance

O Paysandu segue firme a sua luta para chegar a série B do Brasileiro em 2021. Quarto lugar do grupo A na primeira fase, o Papão já estreou com vitória na segunda fase da competição, por 2 a 1 sobre o Ypiranga-RS no Mangueirão e lidera o grupo D, já que Remo e Londrina não saíram do do empate sem gols no sul do país. Felipe Albuquerque, diretor executivo, se posicionou sobre todo trabalho realizado até agora, no comando do futebol de um dos clubes mais tradicionais do Brasil, em sua conta no Instagram.

- Na série C 2020, classificamos com 29 pontos e uma rodada de antecedência, única vez que o clube conseguiu este feito e, com a maior pontuação que já alcançou na primeira fase da série C, no atual formato. Fizemos a segunda melhor campanha do returno. São oito jogos de invencibilidade, com apenas um gol sofrido. Fizemos em 2020, o menor número de contratações do século - escreveu.

O Paysandu está se organizando internamente. Há dois anos, quando Felipe chegou ao Papão, o clube estava rebaixado à serie C, com queda de receitas e com apenas seis atletas em seu elenco. O Bicolor da Amazônia não vencia o seu rival Remo há dois anos. Nestes dois anos, o Paysandu não só voltou a vencer o Remo como construiu um dos maiores tabus no RE-PA. Já está há dois anos sem perder para o seu maior rival. O segundo maior tabu do século.

- Obtemos o melhor resultado quando fazemos o melhor para nós e para os outros. Em novembro de 2018, quando recebi o convite para ser Executivo de Futebol do Paysandu Sport Club, me senti honrado, pela grandiosidade do clube e pela minha história com a cidade de Belém. A missão tinha um grau de dificuldade enorme, afinal de contas, o Paysandu se encontrava em um momento muito difícil. Claro que o processo é de longo prazo. Ainda restam muitos objetivos a serem conquistados, mas conseguimos evoluir significativamente dentro e fora do campo. No primeiro ano de gestão do departamento de futebol, chegamos em duas decisões nacionais. Foi construído o segundo maior tabu do século sobre o maior rival e, no ano seguinte, ganhamos o 48° título estadual. De forma incontestável, mantendo a hegemonia bicolor. - afirmou em sua rede social - afirmou o dirigente de 34 anos.

Felipe também citou que no ano passado, o Paysandu chegou a marca de 22 jogos de invencibilidade, foram seis meses sem derrotas. A campanha chegou a fincar o Papão da Curuzu como a melhor defesa do país em média de gols sofridos na temporada passada. Nestes dois anos de gestão o clube disputou quatro fases finais, utilizando amplamente as categorias de base no time principal. Até aqui foram 78 jogos, 36v, 29e, 13d com 59% de aproveitamento.

Agora Felipe Albuquerque pede concentração total na fase decisiva do Brasileiro. Lembrou que o trabalho é a longo prazo e que teve a atenuante de uma pandemia e que o Paysandu conseguiu passar com muita dificuldade sobre esse processo que ainda não acabou.

- O trabalho é a longo prazo e ainda resta muita coisa. Agora teremos a segunda fase. É preciso concentração e atenção em todos os detalhes - finalizou Felipe.

O Paysandu voltará a campo no próximo domingo, dia 22, às 18h, para o clássico contra o Remo no Mangueirão, pela segunda rodada da segunda fase. A luta para o acesso continua e para manter o tabu de dois anos sem perder para o rival também.

Últimas