Fábio pega pênalti e garante vitória do Cruzeiro sobre o Uberlândia

Em um jogo ruim da Raposa no Mineirão, o goleiro celeste salvou os três pontos do time azul, que voltou a vencer no Campeonato Mineiro

Lance

Lance

Lance

Com muitas dificuldades, o Cruzeiro venceu o Uberlândia por 2 a 1, gols de Pedro Bicalho e Arthur, para a Raposa, com Jhuliam descontando para o time do Triângulo Mineiro. O resultado só foi possível com uma defesa de pênalti do goleiro Fábio aos 47 minutos do segundo tempo após uma falta cometida pelo lateral Valdir na área celeste. Foi a 29ª cobrança defendida pelo goleiro cruzeirense.

O duelo marcou a reestreia de Marcelo Moreno no Cruzeiro. Mesmo sem ritmo de jogo, o atacante mostrou que poderá ajudar o clube azul, pela disposição e força física dentro da área adversária. Ele não marcou gol, mas participou do primeiro tento, além de estar presente nas principais jogadas de ataque.

Para o Uberlândia, o resultado foi amargo, pois teve chances até de sair vitorioso de campo, ou pelo menos com um empate, não fosse a perda do terceiro pênalti na competição. O Verdão caiu para a oitava colocação. A Raposa, subiu para o quarto lugar, com 14 pontos, mas poderá perder a posição ao fim da rodada.

No geral, o time de Adilson Batista não fez um bom jogo, tendo muitas dificuldades em articular as jogadas de ataque, além de uma jornada ruim dos laterais, Valdir, pela direita, e João Lucas, na esquerda, virando alvo da torcida,

Os três pontos foram importantes para o Cruzeiro retomar o caminho das vitórias, mas o alerta na Toca da Raposa está ligado com o desempenho em campo, ainda aquém neste Estadual.

Vontade forte no início

O Cruzeiro começou bem a partida, indo para cima do Uberlândia, mas um pouco na empolgação, tendo pouca organização nas jogadas. A Raposa teve sua melhor força na etapa inicial pelo meio de campo, já que nas laterais o time não funcionou bem. João Lucas e Valdir não estavam em boa tarde.

Expectativa de ver Marcelo Moreno

Mesmo em uma tarde chuvosa, o torcedor do Cruzeiro compareceu em bom número para ver a estreia da terceira passagem de Moreno pela Raposa. E, o boliviano não decepcionou, buscando jogo, se movimentando, apesar de ainda estar fora do ritmo ideal.

Jogada de Moreno, gol de Pedro Bicalho

Em um dos poucos momentos que a parceria Maurício-Marcelo Moreno funcionou, saiu o gol celeste. O meia tocou de cabeça para Moreno, que cruzou bem para o gol do jovem volante. Raposa na frente no Mineirão.

João Lucas e Valdir em tarde ruim

Um das forças do Cruzeiro em ter Marcelo Moreno no ataque é poder alimentar o atacante na área pelos lados do campo. Porém, tanto Valdir, na direita, e principalmente João Lucas, na esquerda, não conseguiam dar seguimento às jogadas ofensivas e ainda tinha dificuldades defensivas.

Na volta do segundo tempo, Moreno cria novo perigo

A disposição de Marcelo Moreno em campo era evidente. Ele conseguiu criar mais um lance de perigo para o Uberlândia.

Uberlândia aperta a Raposa

O time do triângulo deixou a postura defensiva do primeiro tempo e resolveu ir para o ataque e acabou criando bons lances. A nova forma de jogar foi recompensada.

Vacilo da defesa celeste...Mais uma vez. Gol do Uberlândia

A bola aérea no Cruzeiro tem sido um dos pontos fracos do time azul. Porém, nem os ajustes feitos por Adilson Batista deram certo e o atacante Jhuliam, sozinho, sem se esforçar para subir entre a zaga do Cruzeiro, cabeceou e empatou a partida.

Três volantes são necessários?

Adilson Batista não esqueceu alguns cacoetes de lado na sua vida de treinador. Um deles, é sempre armar seu meio de campo com três volantes, mesmo não tendo peças que saibam jogar na defesa e ataque ao mesmo tempo no atual elenco cruzeirense. Apesar da deficiência, o treinador insiste em manter seu estilo de jogo e começa a perder o crédito dado a ele pela remontagem do elenco estrelado.

Não atacou bem e passou “aperto” na defesa

Dos 15 aos 25 minutos do segundo tempo, o Uberlândia controlava o jogo e o Cruzeiro tinha de se “virar” para evitar os ataques mais perigosos do Verdão. A torcida se impacientou e começou a pegar no pé do lateral João Lucas, que não conseguia acertar quase nada em campo.

Dois pontas, dois centroavantes. Adílson busca o gol da vitória

O treinador do Cruzeiro mostra que é mais reativo do que proativo na condução do Cruzeiro. Ao optar por uma escalação mais defensiva de início, teve de reagir após o gol do Uberlândia e abriu o time de vez, colocando dois pontas, Welinton e Caio, além do centroavante Vinicius Popó, que ficou disputando espaço com Marcelo Moreno. A tentativa era de conseguir pelo menos o resultado, pois o desempenho em campo foi ruim.

Arthur tira o Cruzeiro do sufoco

Em uma pressão desorganizada, o Cruzeiro jogava a bola na área do Uberlândia. Em uma dessas jogadas, conseguiu o escanteio e na cobrança, o zagueiro Arthur, alivia o torcedor celeste na tarde chuvosa em BH.

Valdir comete pênalti, mas Fábio garante os três pontos da Raposa

O jovem lateral não estava em uma tarde feliz. Sem acertar nada no ataque, ainda comprometeu na defesa. Em um lance bobo, cometeu pênalti em Wandinho, do Uberlândia. Diogo vai para a cobrança e Fábio garante outro “bicho” para a Raposa no fim da partida. Foi o 29º pênalti defendido pelo arqueiro celeste.

Agenda dos clubes

O Cruzeiro terá o seu maior desafio na temporada até aqui, quando enfrentará o Atlético-MG, sábado, 7 de março, às 19h, no Mineirão, pela oitava rodada do Campeonato Mineiro. Antes, na quarta-feira, 4, a Raposa terá pela frente o Boa Esporte em duelo da segunda fase da Copa do Brasil, em Varginha. Já o Uberlândia recebe a URT, domingo, dia 8, às 10h, no Parque do Sabiá.

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 2 x 1 UBERLÂNDIA

Data-hora: 1º de março de 2020, às 16h(De Brasília)
Estádio: Mineirão, Belo Horizonte(MG)
Árbitro: Marco Aurélio Augusto Fazekas
Assistentes: Marcus Vinicius Gomes e Felipe Alan Costa de Oliveira
Cartões amarelos: Filipe Machado(CRU)
Cartões vermelhos: -
Público e renda: não divulgados
Gols: Pedro Picalho, aos 10’-1ºT(1-0), Jhuliam, aos 12’-2ºT(1-1), Arthur, aos 43’-2ºT(2-1)

CRUZEIRO: Fábio; Valdir, Arthur, Léo e João Lucas; Filipe Machado, Jadsom(Caio, aos 14’-2ºT0 e Pedro Bicalho(Vinicius Popó, aos 37’-2ºT); Maurício, Everton Felipe(Welinton, aos 31’-2ºT) e Marcelo Moreno. Técnico: Adílson Batista

UBERLÂNDIA: Rafael; Joazi., Rogério, Plínio e Fábio Alves; Jô, Leandro Salino e Diogo Peixoto; Luizinho(Lucas, aos 40’-2ºT), Jhulliam(Thiago, aos 37’-2ºT) e Dija Baiano(Wandinho, aos 27’-2ºT). Técnico: Luizinho Lopes