Lance Exposição conta história da 1ª atleta brasileira em maratona olímpica

Exposição conta história da 1ª atleta brasileira em maratona olímpica

Centro Cultural dos Correios do Rio mostra até 15 de agosto a carreira de Eleonora Mendonça, que correu em Los Angeles 1984

Lance
  • Lance | por Lance

Eleonora Mendonça correu nos Jogos Olímpicos de Los Angeles, em 1984

Eleonora Mendonça correu nos Jogos Olímpicos de Los Angeles, em 1984

Lance

Primeira brasileira a participar de uma maratona olímpica, nos Jogos de Los Angeles 1984, na estreia da distância feminina na história das Olimpíadas, Eleonora Mendonça é tema de exposição que será inaugurada nesta quinta-feira (1º), com abertura para o público nesta sexta-feira (2), no Centro Cultural Correios, no Rio de Janeiro.

"Eleonora Mendonça - Uma Brasileira Pioneira", com materiais de diversas naturezas, retrata a carreira da atleta. São ressaltadas três facetas da corredora: atleta, ativista e empresária.

Cartaz de divulgação da exposição

Cartaz de divulgação da exposição

Divulgação

A partir de sexta-feira (2) a visitação será livre, seguindo os cuidados recomendados pelo combate à pandemia, de terça-feira a sábado até o dia 14 de agosto das 12h às 19h, na sala A, do 3° andar do Centro Cultural Correios, coincidindo, em parte, com o período de realização das Olimpíadas de Tóquio.

Há a possibilidade de fazer uma visita guiada pela própria Eleonora, que deve ser agendada no site do Instituto Eleonora Mendonça.

“Estou muito feliz com a exposição, que mostra um pouco de minha vida de atleta, quando pude representar o Brasil em diversas competições”, disse Eleonora, que está morando em Boston, nos Estados Unidos, mas voltou ao Rio de Janeiro, onde nasceu, para acompanhar o evento.

Como corredora, ela teve uma carreira excepcional. Ela levou o nome do Brasil às mais importantes competições internacionais. Além de ter sido a primeira brasileira a correr uma maratona olímpica, deteve recordes brasileiros em todas as distâncias de 1.500m até a maratona. Foi a brasileira mais bem colocada nas maratonas de Boston e de Nova York, duas das provas mais importantes do mundo

.

Como ativista, lutou pela igualdade de direitos entre homens e mulheres nas corridas, tendo, inclusive, que tomar ações drásticas, como enfrentar o Comitê Olímpico Internacional (COI), para garantir sua participação na Olimpíada de Los Angeles. Ela completou a prova em 2h52m19, na 44ª colocação. Foi a última a chegar entre as 50 atletas que correram os 42 km. Seis atletas não completaram a prova.

Eleonora presidiu o Comitê Internacional de Corredores, organização que trabalhou para a inclusão de eventos femininos de longa distância nas Olimpíadas. Ela faz parte do seleto grupo de atletas de vários países que participaram desse movimento e é reconhecida como uma das Primeiras Damas (First Ladies) das corridas.

Empresária, dona da Printer Promoções Internacionais, Eleonora organizou em 1980, a primeira corrida feminina na América Latina, sendo também pioneira ao publicar a primeira revista de corridas no país - A Corrida - e também ao confeccionar e comercializar as primeiras roupas especificamente de corrida, para homens, mulheres e crianças.

A exposição conta com a curadoria de Carlos Bertão e o design expográfico e de iluminação de Alê Teixeira. A produção está a cargo do Instituto Eleonora Mendonça e da EntreArte Consultoria. O Centro Cultural Correios fica na Rua Visconde de Itaboraí, 20, no Centro do Rio. 

Últimas