Lance EXCLUSIVO: Ex-Palmeiras, Fernando fala sobre venda ‘precoce’ e bom momento na Ucrânia

EXCLUSIVO: Ex-Palmeiras, Fernando fala sobre venda ‘precoce’ e bom momento na Ucrânia

Cria da Academia, atacante está atualmente no Shakhtar Donetsk e conversou com o LANCE!/NOSSO PALESTRA

Lance
Lance

Lance

Lance

Revelado nas categorias de base do Palmeiras, o atacante Fernando teve pouco espaço na equipe profissional antes de ser vendido para o Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, em 2018.

Na época, sem muito espaço para jovens promessas na equipe principal, a negociação foi fechada por 5,5 milhões de euros (aproximadamente R$ 24 milhões, na cotação da época) – o clube, que era dono de 90% dos direitos econômicos do jogador, então com 19 anos, ficou com cerca de R$ 21,6 milhões.

O jovem era titular da equipe Sub-20 e um dos candidatos a sucessor de Gabriel Jesus na linhagem de jogadores das categorias de base com sucesso no profissional. Em entrevista EXCLUSIVA ao LANCE!/NOSSO PALESTRA, Fernando lembrou da comparação com o camisa 33 e revelou se inspirar no centroavante do Manchester City.

- Com certeza ele (Gabriel Jesus) é um jogador que eu sempre admirei e procurei observar. Tem uma carreira fantástica, em um grande clube do futebol europeu como o Manchester City, é sempre convocado para Seleção e disputou uma Copa do Mundo. É uma inspiração e um grande ídolo que tenho. – analisou.

INÍCIO PROMISSOR E VENDA

Fernando foi promovido ao elenco profissional por Cuca, em 2017. No entanto, foi com Alberto Valentim, na reta final do Brasileirão daquela temporada, que ele estreou com a camisa palestrina, na derrota por 3 a 1 contra o Vitória, no Barradão, válida pela 33ª rodada do certame nacional.

No ano seguinte, o atacante foi utilizado por Roger Machado na partida contra o Ituano, na última rodada da primeira fase do Paulistão. Na ocasião, ele entrou no segundo tempo e marcou seu único gol com a camisa do clube.

Entre idas e vindas ao elenco profissional após o estadual, Fernando passou a treinar novamente com o grupo durante a pausa para a Copa do Mundo de 2018, mas sem atuar. Foi então que a proposta do Shakhtar Donetsk chegou, agradando a ambas as partes.

A venda foi se mostrou boa para todos os envolvidos. O Palmeiras acabou campeão brasileiro naquela temporada, o Shakhtar adquiriu um jovem talento e Fernando se transferiu para um clube europeu com histórico de brasileiros bem sucedidos. Aos 22 anos, o jogador diz não guardar mágoas por não ter tido muitas chances no time de cima, além de não se arrepender da escolha.

- Certamente saí muito jovem, poderia ter jogado mais, mas são situações que aparecem na nossa vida e temos que tomar a decisão. Na época, junto dos meus empresários e da minha família, tomamos a decisão. Foi algo também muito bom para o Palmeiras. O Shakhtar tem esse histórico de contratar brasileiros jovens e estou muito feliz aqui – destacou

A venda ocorreu em um momento no qual o Palmeiras não priorizava atletas das categorias de base e utilizava os pratas da casa como maneira de ganhar dinheiro com vendas para o exterior. Remodelado durante a gestão de Mauricio Galiotte e com jovens titulares e campeões com o clube, o ex-atleta da equipe admite a felicidade em ver antigos companheiros brilharem no Parque Antarctica.

- Fico muito feliz pelos garotos estarem jogando. Isso é muito importante para eles quando sobem, de ganhar oportunidade no profissional e seguir o caminho que tanto sonham. Eu falo com alguns jogadores ainda, acompanho o Palmeiras e sempre que possível estou na torcida – revelou ao NP.

MOMENTO NA UCRÂNIA

Líder do Campeonato Ucraniano e lutando por vaga nas oitavas de finais da Champions League, Fernando vive grande momento no Shakhtar Donetsk. Ganhando mais espaço no clube com o treinador Roberto De Zerbi, o atacante marcou sete gols nos últimos nove jogos da equipe.

O bom momento foi coroado com uma bela atuação no Santiago Barnabéu, contra o Real Madrid. Na derrota por 3 a 1 diante dos Merengues, a Cria do Palmeiras foi o autor do gol do time ucraniano na partida. Porém, o atacante não só balançou as redes, mas mostrou qualidade e inteligência para brigar de igual para igual com os marcadores David Alaba e Éder Militão.

- Apesar da derrota, foi um momento único na minha carreira. Todo jogador sonha em disputar a Champions, a maior competição de clubes do mundo. Foi um gol bonito, que consegui acertar um belo chute. Estou feliz pelo momento que estou vivendo, jogando em uma posição mais como referência, mas também com movimentação pelos lados. E consequentemente, com uma sequência boa, os gols estão saindo. Certamente é meu melhor momento desde que cheguei aqui e espero continuar evoluindo – concluiu.

Contra Real Madrid, Inter de Milão e Sheriff, da Moldávia, o Shakhtar é o último colocado do Grupo D da Champions League, com apenas um ponto em quatro partidas. Com chances remotas de avançar para a próxima fase, a briga da equipe é para se recuperar nos dois últimos confrontos e beliscar vaga na Europa League.

Últimas