Lance Ex-integrante do Masterchef Brasil, Ieda Lara explica benefícios da dieta vegana para lutadores de MMA

Ex-integrante do Masterchef Brasil, Ieda Lara explica benefícios da dieta vegana para lutadores de MMA

Ex-integrante do Masterchef Brasil, Ieda Lara explica benefícios da dieta vegana para lutadores de MMA

Lance
Lance

Lance

Lance

A medicina já comprovou que a alimentação vegana é capaz de substituir o consumo de carne sem perda nutricional e as dietas veganas estão cada vez mais completas, derrubando mitos e preconceitos. Quem afirma é a ex-integrante do programa Masterchef Brasil, a chef de cozinha Ieda Lara, especializada em dietas glúten free e veganas.

“É um mito afirmar que só a carne fornece proteína construtora de músculos. Existe um preconceito sobre a dieta vegana, que na verdade não é apenas uma dieta e sim um estilo de vida. Nas sociedades antigas, já era sabido por gladiadores e filósofos que a alimentação baseada em vegetais potencializava o desempenho físico e mental. Os principais benefícios para atletas veganos em comparação com alimentos e produtos não-veganos são a maior ingestão de carboidratos complexos, fibra alimentar, vitaminas antioxidantes C e E, ácido fólico, magnésio, potássio e sódio, carotenóides e outros fitoquímicos”, explicou.

Ieda Lara é chef de cozinha desde 2005 e reúne experiência liderando cozinhas famosas em todo território nacional, como a do consagrado Restaurante Alfredo di Roma (franquia italiana), e a de hotéis, como Vila Germânica. Ao longo dos 17 anos de atuação, Ieda se especializou em alimentação vegana e glúten free cuisine, criando pratos autorais que levam sua assinatura. Entre os mais solicitados, estão aqueles com ingredientes nutritivos veganos e com total reaproveitamento dos alimentos, como cascas e sementes, a exemplo do quibe de casca de banana e quinoa. Para aperfeiçoar sua técnica, Ieda Lara também fez visitas de imersão a restaurantes e cafés na Califórnia (Estados Unidos), um dos locais americanos que mais valorizam o conceito de health food, glúten free e veganismo.

Lutadores veganos no UFC

O sucesso de lutadores como Mac Danzig, Alex Caceres, Jake Shields e os irmãos Nick e Nate Diaz só confirma o que ela diz, já que é possível aderir a esse estilo de vida e se manter saudável - e competitivo. Esses cinco atletas competem ou já estiveram no ringue do UFC, a maior liga de MMA do planeta. Para fazer parte da organização, é preciso estar entre os melhores. Para tanto, os treinos são duros e intensos, exigindo uma alimentação capaz de fornecer todos os nutrientes necessários para o alto rendimento. E, a presença desses atletas no Ultimate, demonstra que é possível se manter competitivo com uma alimentação vegana, assim como destacou Ieda Lara, chef especializada em alimentação inclusiva (sem glúten, lactose e vegana).

Dieta vegana favorece tratamento de lesões

Ieda lara complementa que muitos atletas recorrem a dieta vegana temporária quando precisam tratar de lesões, visto que ela possui menos alimentos inflamatórios. "Temos vários exemplos de atletas de alta performance como o campeão mundial de automobilismo, Lewis Hamilton, a tenista Serena Willians, o homem mais forte da Alemanha, Patrick Baboumian, o campeão mundial de tênis Novak Djokovic, dentre outros”, informou.

Dois grandes questionamentos de quem pensa em aderir à dieta vegana são: o gasto financeiro com os alimentos e a preocupação com a deficiência de proteína. De acordo com Ieda, entretanto, isso faz pouco sentido, uma vez que vegetais e leguminosas custam consideravelmente menos do que as carnes e podem servir como fontes proteicas seguras.

“A falta de proteína pode ser uma preocupação se a alimentação não estiver equilibrada, e isso requer ajuda de um profissional para as adequações e objetivos. Mas por outro lado, segundo o Guia Alimentar de Dietas Vegetarianas para Adultos, da Sociedade Brasileira Vegetariana, de forma geral, a proteína não pode ser considerada um fator de preocupação nas dietas vegetarianas porque a ingestão de alguns aminoácidos, como a lisina, pode ser garantida pelo consumo diário de quatro colheres de sopa de feijão cozido em grãos ou quantidade equivalente dos demais alimentos do grupo dos feijões (lentilha, grão de bico, etc), ressaltou a chef de cozinha.

“A quinoa por exemplo é a mais completa proteína de origem vegetal por conter todos os nove aminoácidos que nosso corpo precisa. A alimentação vegana fornece todos os nutrientes em quantidades adequadas - exceto a vitamina B12, que está presente apenas em alimentos de origem animal e deve ser suplementada sob supervisão médica. É fundamental salientar que toda dieta deve ser planejada e acompanhada por um nutricionista. Levando em conta a diferença de preços das proteínas animais em relação ao valor dos grãos, leguminosas e folhas é totalmente possível uma dieta vegana de alta performance mesmo com poucos recursos financeiros”, concluiu.

Últimas