Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Esporte - Notícias sobre Futebol, Vôlei, Fórmula 1 e mais
Publicidade

Estevão, Endrick e o medo inevitável do espelho se quebrar no Palmeiras

Crias de 17 anos viram realidade e se tornam titulares do Verdão de Abel Ferreira

Lance

Lance|Do R7

Estevão celebra o seu segundo gol no Allianz Parque (Foto: Cesar Greco/ Ag. Palmeiras)

O mestre João Nogueira dizia em de um dos seus mais famosos sambas, 'que o seu medo maior era o espelho se quebrar', como se escrevesse sobre um temor de que seu filho mude de rumo e não siga o que seu velho lhe ensinou, aquele medo do filho bater asas, que todo pai sente em algum momento de nossas vidas.

➡️ Tudo sobre o Verdão agora no WhatsApp. Siga o nosso novo canal Lance! Palmeiras

Estevão e Endrick surgiram como se um fosse o espelho do outro no Maior Campeão do Brasil. Dois jovens pretos brasileiros que possuem até a mesma letra inicial de nome, canhotos, da mesma geração, com um talento raro que vem com uma pitada de um DNA que só o nosso país consegue produzir.

Estamos vendo dois craques da pelota se tornarem rapaz. E que privilégio o nosso de ver o Palmeiras formar duas joias que podem ditar o futuro do futebol brasileiro daqui alguns anos.

Publicidade

A maior tristeza para o palmeirense é pensar que esses dois 'filhos' que criamos com tamanho carinho e identificação, inevitavelmente seguirão para a Europa após baterem os seus 18 anos.

No caso de Endrick, o espelho se quebra daqui menos de 10 jogos, e após a Copa América ele já viaja para a Espanha para se apresentar ao Real Madrid.

Publicidade

Estevão, por mais que Abel Ferreira implore para Leila Pereira, também deve fazer no máximo mais uns 50 jogos com a camisa alviverde, uma vez que o assédio europeu só tende a aumentar nos próximos meses, e é difícil pensar que o Palmeiras consiga segurá-lo para além de 2025.

➡️ A boa do Lance! Betting: vamos dobrar seu primeiro depósito, até R$200! Basta abrir sua conta!

Publicidade

Em uma postagem de Estevão na noite após a vitória sobre o Botafogo-SP, Endrick comentou que o camisa 41 do Verdão era um craque 'bizarro'. Mas Endrick poderia estar falando com o espelho, ou Estevão estar falando o mesmo para o Endrick.

De repente a gente nem sabe quem é quem ao ver um preto canhoto habilidoso passando por cima dos adversários e marcando mais um gol para o alviverde imponente no Palestra lotado.

A gente só agradece, morrendo de medo e vivendo na espera de quando o nosso espelho se quebrar.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.