Lance Estados Unidos lidera quadro de medalhas de Tóquio; Brasil fica em 12º

Estados Unidos lidera quadro de medalhas de Tóquio; Brasil fica em 12º

Desempenho dos americanos foi abaixo do esperado e superaram a China por apenas uma medalha de ouro

Lance
  • Lance | por Lance

Lance

Lance

Lance

O Estados Unidos venceu os Jogos Olímpicos de Tóquio e continua com o posto de maior potência do esporte. Os americanos encerraram a participação com 39 medalhas de ouro e superaram a China, que terminou em segundo lugar com 38. No geral, os americanos sobraram com 113 medalhas contra 88 dos chineses.

+ Agora é oficial: Olimpíada de Tóquio chega ao fim e passa bastão para Paris-2024

A diferente entre o primeiro e segundo colocado no quadro de medalhas de Tóquio foi o menor registrado desde 1912, quando o Estados Unidos venceu a Suécia por 25 a 24. O desempenho abaixo do esperado na ginástica, natação e atletismo foi o principal motivo para a diferença de apenas uma medalha de ouro para a China.

O Japão terminou em terceiro lugar com 27 medalhas de ouro. Foi a melhor campanha dos japoneses na história. Em 2016, os japoneses conquistaram somente 12 medalhas de ouro e terminaram em sexto lugar. No número total, no entanto, terminou em quinto lugar com 58 medalhas (atrás também da Rússia e Grã-Bretanha).

Por outro lado, a Alemanha teve uma grande queda no número de medalhas. Em 2016, os alemães conquistaram 17 medalhas de ouro e terminaram em quinto lugar. Já em Tóquio, registraram o seu pior desempenho desde a unificação e terminaram em 9º lugar com 10 medalhas de ouro.

Já a Holanda foi a grande surpresa. Em 2016, terminaram em 11º lugar com oito medalhas de ouro. Já em Tóquio, saltou para o sétimo lugar com 10 medalhas de ouro. Também houve um aumento no número de medalhas: de 19 para 36. Assim como a Holanda, a Rússia também registrou um aumento no número de medalhas, mas o 5º lugar foi a pior posição na história.

BRASIL QUEBRA RECORDES

O Brasil fez história nos Jogos Olímpicos de Tóquio. O país terminou em 12º lugar no quadro de medalhas e atingiu a sua melhor marca na história das Olimpíadas. Além disso, igualou o maior número de medalhas de ouro (7) e bateu o recorde de medalhas (21). A marca anterior era de 19 medalhas, conquistada no Rio de Janeiro em 2016.

Em Tóquio, o Brasil conquistou medalhas inéditas na ginástica e tênis, além do skate e surfe, que estrearam nas Olimpíadas. Também teve o bicampeonato olímpico no futebol masculino e na vela com a dupla Martine Grael e Kahena Kunze. A natação também voltou a conquistar medalhas depois de passar em branco no Rio. O boxe também foi destaque com três medalhas.

Por outro lado, o vôlei teve um desempenho abaixo do esperado. No vôlei de praia, foi a primeira vez que o Brasil ficou sem medalhas desde que a categoria entrou no quadro de medalhas em 1996. Na quadra, o masculino ficou fora do pódio pela primeira vez desde 2000. Já o feminino voltou ao pódio e ficou com a medalha de prata após ficar de mãos vazias em 2016.

Brasil x Espanha (podio)

Brasil x Espanha (podio)

Lance

Brasil conquistou o bicampeonato olímpico no futebol masculino (Foto: Anne-Christine POUJOULAT / AFP) 

Confira o quadro de medalhas dos Jogos Olímpicos de Tóquio:

Últimas