Lance Em longa carta aberta, Petraglia fala sobre perícia da FGV nas obras da Arena da Baixada

Em longa carta aberta, Petraglia fala sobre perícia da FGV nas obras da Arena da Baixada

Presidente do Conselho Administrativo do Athletico-PR chamou perícia de 'prova definitiva' contra alegação de superfaturamento 

Lance
Lance

Lance

Lance

A batalha na justiça envolvendo o Athletico-PR, a Prefeitura de Curitiba e o Governo do Paraná teve um capítulo importante que foi encerrado nessa semana de maneira favorável ao clube. Isso porque, em perícia determinada pela justiça sob responsabilidade da Fundação Getúlio Vargas, não foram encontradas irregularidades na obra que custou pouco mais de R$ 397 milhões.

O resultado rendeu uma longa carta aberta feita pelo Presidente do Conselho Administrativo do clube, Mário Celso Petraglia, onde o mandatário classificou a situação como uma "prova definitiva" de que não houve nenhuma irregularidade no processo.

Os principais apontamentos feitos pelas outras partes do processo no sentido do superfaturamento foram de que, nas primeiras estimativas, os preços estavam bem menores do que o orçamento final. Na primeira estimativa, a obra foi orçada em R$ 184 milhões e, na segunda, o valor subiu para R$ 219 milhões.

Sobre esses pontos, a perícia da FGV entendeu que as primeiras estimativas foram "irrealistas" além de entender que os preços inseridos no orçamento "condiziam com o mercado" bem como deu razão ao apontamento do Furacão de que a demora na liberação do financiamento efetivamente atrasaram as obras em período fora do controle do clube.

Confira abaixo a carta aberta

Na vida, não há nada pior do que lutar contra desconfianças e insinuações. É o que eu tenho feito desde o início da obra da nova Arena. Não foi nada fácil, mas o Athletico, enfim, enterrou para sempre toda e qualquer dúvida sobre a lisura na construção da Arena.

Uma perícia judicial da Fundação Getúlio Vargas deu razão ao Athletico em tudo que era relevante. A FGV foi nomeada pelo Juiz da quarta vara da fazenda de Curitiba, em uma ação judicial que envolve, além do Athletico, a Fomento, o Município e o Estado. É uma prova definitiva.

​Não adiantava eu mostrar que a Arena tinha sido o estádio mais barato do Brasil por metro quadrado. Agora a pericial judicial da FGV confirmou, mostrando que o Maracanã, por exemplo, custou três vezes mais por metro quadrado do que a Arena.

​Eu insistia que Arena era o único estádio que tinha ficado fora do cartel das empreiteiras da Lava Jato. E por isso não tinha havido sobrepreço, mas muita gente teimava em insinuar. Agora a perícia da FGV afirmou que não encontrou nenhum sobrepreço e que “os valores unitários considerados nos orçamentos se encontram compatíveis com os preços referenciais de mercado”. A perícia judicial calou os maldosos.

​Cansei de explicar que a diferença entre a estimativa inicial e o custo final tinha dois motivos claros. Os projetos iniciais não eram realistas e o aumento efetivo do custo seu deu por novas exigências da FIFA. A perícia judicial admitiu que as estimativas iniciais “não eramrealistas”. E concluiu: “o aumento dos custos não é atribuível ao Athletico”. Ainda mais: “O principal elemento que ocasionou o aumento do custo efetivo da reforma do Estádio foi a alteração do projeto relativa ao aumento da capacidade de público do estádio”, entre outras novas exigência da FIFA.

​Aos que reclamavam do atraso da obra, eu respondia que a culpa estava no atraso da liberação do financiamento. A FGV reconheceu que o fluxo de liberação das parcelas impôs “redução do ritmo das obras” e também provocou aumento de custos. Fim das desconfianças sobre a nossa competência em construir um estádio em tempo recorde. Foram dois anos de uma perícia judicial, realizada pela mais séria entidade do país – a Fundação Getúlio Vargas –, analisando dezenas de milhares de documento.

Foi o Juiz quem nomeou a FGV. A conclusão da perícia é uma derrota definitiva das desconfianças e insinuações.Fizemos o melhor e o mais barato estádio do Brasil. E sem estádio, não teria Copa em Curitiba e os dois bilhões de investimentos federais para o Paraná.

Agora é a hora de resolver este assunto de uma vez por todas. O Athletico está pronto, como sempre esteve, para pagar a sua parte no acordo com Estado e Município.E virar a página.

​Nunca perdi a fé que tudo seria esclarecido. Era o que movia minha esperança. Valeu a luta.

Últimas