Lance Em jogo de seis gols, Brasil sofre com Mané e é derrotado por Senegal em amistoso

Em jogo de seis gols, Brasil sofre com Mané e é derrotado por Senegal em amistoso

Atacante do Bayern marcou dois gols e foi fundamental para os Leões de Teranga vencerem a Seleção Brasileira por 4 a 2 em Portugal

Lance
Lance

Lance

Lance

A Seleção Brasileira não começou bem o seu período pós-Copa do Mundo. Nesta terça-feira (20), o Brasil foi derrotado por 4 a 2 por Senegal, em amistoso realizado no estádio José Alvalade, em Lisboa. Ainda que tenha vencido Guiné no último sábado (17), a Amarelinha já havia perdido para Marrocos, em jogo que havia sido disputado no fim de março - e que foi o primeiro da equipe após o Mundial.

Jogador do Bayern de Munique, da Alemanha, o atacante Sadio Mané foi o destaque do jogo, com dois gols marcados. O primeiro, inclusive, sendo uma pintura, no ângulo de Éderson. Diallo e Marquinhos, contra, também anotaram os gols dos Leões de Teranga. 

+ Lance! estreia nova marca e se reposiciona no mercado de mídia esportivas

Do lado brasileiro, Lucas Paquetá e Marquinhos, que também marcaram a favor, deixaram as suas marcas. A Amarelinha, inclusive, foi quem abriu o placar, ainda no início do jogo.

SELEÇÃO INICIA EM CIMA, ABRE O PLACAR E PODERIA TER FEITO MAIS

A Seleção Brasileira começou em cima e tomando as rédeas da partida. E não demorou muito para abrir o placar. Logo aos 10 minutos, Lucas Paquetá deixou a sua marca de cabeça, aproveitando ótimo cruzamento de Vinícius Júnior, que recebeu com liberdade pelo lado esquerdo. 

E o Brasil poderia ter empilhado mais gols na sequência, porque se manteve em cima de Senegal. Dois minutos após sair na frente, Malcom apertou a saída de bola e deu ótimo passe para Richarlison, que, mesmo na cara do goleiro, chutou para fora. 

Na sequência, Vini foi pisado por Ciss na área, e a arbitragem marcou pênalti. Porém, após revisão do VAR, o lance foi anulado por impedimento do atacante brasileiro.

.SELEÇÃO DÁ MOLE, SEDE ESPAÇO E SOFRE EMPATE

Mas se parecia que a Seleção poderia dominar o jogo e vencer com facilidade, a Amarelinha começou a dar espaço para Senegal. E não demorou muito para sofrer o empate. Em falta cobrada pelo lado direito, Joelinton afastou mal e Diallo pegou a sobra de primeira. 

Após o empate, os Leões de Teranga assumiram o protagonismo da partida, teve mais volume e quase virou ainda na etapa inicial, quando Sarr invadiu a área pela direita, bateu cruzado e parou em uma boa defesa de Ederson.

SENEGAL VIRA NO SEGUNDO TEMPO

Logo no início do segundo tempo, Senegal fez aquilo que já se desenhava na etapa inicial: virou o jogo. Porém, o gol foi marcado por um jogador brasileiro. Sané deu ótimo passe para Sarr, que acionou Diallo, que fechava no segundo pau, mas antes Marquinhos, na tentativa de evitar que a bola chegasse no senegalês, colocou contra o patrimônio. O zagueiro do Paris-Saint Germán foi o capitão brasileiro, na ausência de Casemiro, que sentiu o joelho antes da partida. 

E como desgraça pouca é bobagem, os Leões de Teranga ainda ampliaram três minutos depois, com um golaço de Sadio Mané, que acertou um chutaço no ângulo esquerdo de Ederson. 

BRASIL DESCONTA, MAS NÃO CONSEGUE A VITÓRIA

Logo após sofrer o terceiro gol, o técnico Ramon Menezes, da Seleção Brasileiro, fez mudanças no ataque, colocando Pedro e Rony, no lugar de Richarlison e Malcom. No minuto seguinte, o Brasil descontou com Marquinhos, se redimindo do gol contra que havia feito. O zagueiro aproveitou a sobra, após cobrança de escanteio, pegou na bola de forma esquisita, mas encobriu o goleiro. Pedro chegou fechando no segundo pau, mas não tocou antes de entrar.

Mas para quem achou que a Seleção Brasileira iria para cima e tentava o empate após marcar o segundo gol, o Brasil decepcionou. E mesmo com as entradas de Alex Telles, André e Raphael Veiga, não conseguiu criar. A Amarelinha viveu das bolas longas procurando Rony para brigar na frente, mas isso não foi o suficiente. 

TEMPO FECHOU

No fim da partida, os atletas das duas equipes entraram em confusão, com bastante empurra empurra, após uma falta sofrida pelo meia Bruno Guimarães. Até mesmo os dois goleiros se envolveram na briga, que foi rapidamente controlada pela arbitragem com uma confusão de cartões amarelos. No lado do Brasil, Danilo e Éder Militão receberam. Já em Senegal, Diatta e Jackson foram amarelados.

SENEGAL MATOU O JOGO

Quando a partida se encaminhava para o final, e a Seleção Brasileira tentava o empate na base do abafa, Senegal colocou a última pá de cal, quando Jackson disparou em contra-ataque, saiu na cara do gol e foi derrubado pelo goleiro Ederson. Sadio Mané bateu com tranquilidade e converteu, marcando o seu segundo gol na partida. 

+ Enquanto aguarda Ancelotti, Brasil pode ficar sem técnico por mais oito jogos

FICHA TÉCNICA
BRASIL 2 X 4 SENEGAL
AMISTOSO

Local: José Alvalade, Lisboa (POR)
Data e hora: 20 de junho de 2023, às 16h (horário de Brasília)
Árbitro: Gustavo Correia (POR)
Assistentes: Rui Teixeira (POR) e Pedro Mota (POR)
Árbitro de vídeo: Hugo Miguel (POR)
Público e Renda: Não disponíveis
Cartões amarelos: Danilo e Éder Militão (Brasil); Ciss, Diatta e Jackson (Senegal)
Cartões vermelhos: -

GOLS: 1-0 Lucas Paquetá (10'/1T); 1-1 Dialló (21'/1T); 1-2 Marquinhos (contra) (6'/2T); 1-3 Mané (9'/2T); 2-3 Marquinhos (12'/2T); 2-4 Mané (51'/2T)

BRASIL
Ederson; Danilo, Éder Militão, Marquinhos e Ayrton Lucas (Alex Telles, 28'/2T); Bruno Guimarães, Joelinton (Raphael Veiga, 21'/2T) e Lucas Paquetá (André, 28'/2T); Vinicius Jr, Richarlison (Pedro, 11'/2T) e Malcom (Rony, 11'/2T). Técnico: Ramon Menezes.

SENEGAL
Diaw; Sabaly, Niakathé, Koulibaly e Jacobs; Ciss (Kouyaté, 36'/2T), Mendy e Gueyé (Diatta, 36'/2T); Sarr, Diallo (Jackson, 42'/2T) e Mané. Técnico: Aliou Cissé.

Últimas