Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Em busca do seu primeiro título pelo Galo FA, Michael Long destaca: 'Minas Bowl vai ser emocionante'

O treinador alvinegro está bastante entusiasmado com o FABR

Lance|

Lance
Lance Lance

Nos primeiros meses de sua primeira temporada no FABR, o experiente head coach Michael Long, do Galo FA, pode conquistar o título do Campeonato Mineiro de Futebol Americano. Para isso, o time alvinegro precisa vencer o América Locomotiva no próximo domingo (56/6) no Centro de Treinamento Esportivo da UFMG.

Apesar do favoritismo do Galo FA no confronto, Michael Long prega cautela e destaca que a partida será bastante disputada nas quatro linhas.

- Este será um jogo equilibrado. Eles, do América Locomotiva, são bem treinados e têm muitas armas no ataque. Eu respeito o treinador deles e consigo ver o que eles estão tentando fazer. Ainda não fomos testados na defesa secundária, e esse jogo será decidido neste setor do campo. Preparem a pipoca, o Minas Bowl vai ser emocionante - afirmou.

Apesar de não dar muitos detalhes sobre o confronto, Michael Long listou alguns pontos que devem ser essenciais para definir quem será o tetracampeão mineiro.

Publicidade

- O jogo será vencido nas trincheiras. Eles conseguirão parar nosso jogo terrestre? Conseguiremos pressionar o quarterback deles? Quem vencer nas trincheiras, OL (linha ofensiva) e DL (linha defensiva), sairá vitorioso. Sei que o Galo venceu no ano passado, e esses jogadores carregam esse peso nos ombros e garantiram que nossos novos jogadores estejam focados no América Locomotiva - analisou.

O Minas Bowl é apenas a primeira parte de um plano ambicioso do Galo FA. No ano passado, a equipe tentou unificar os dois títulos nacionais, mas o time atleticano ficou com o vice-campeonato em ambas as competições. Michael Long ressalta que o time mudou muito e precisa dar um passo de cada vez.

Publicidade

- Não somos a equipe do ano passado. Temos muitos rostos novos, novos esquemas ofensivos e defensivos e, sim, novos treinadores. Queremos vencer ambos, sim, mas devemos encarar cada jogo de cada vez. Não podemos olhar para o futuro. Esses campeonatos estão no topo da escada, e precisamos dar cada passo ao longo do caminho até o topo. Portanto, sim, nosso foco é vencer ambos e unir os dois títulos - salientou.

Impressões sobre o FABR

Publicidade

Após quase seis meses no Brasil, o experiente treinador compartilhou suas impressões positivas sobre o FABR. Michael Long destacou o amor dos brasileiros pelo esporte de bola oval e ficou impressionado com a vontade de aprender de seus jogadores.

- Estou muito satisfeito. Vejo jogadores, tanto jovens quanto mais experientes, que desejam aprender o jogo, não apenas a sua posição, mas todos os aspectos do futebol americano. Isso é revigorante como treinador – comentou.

- Os jogadores no Brasil jogam esse esporte porque amam o futebol americano. Eles sacrificam muito apenas para ter a oportunidade de jogar. Eles ouvem os treinadores e sempre fazem ótimas perguntas. Não vi nenhum jogador egoísta aqui no Brasil. Os brasileiros jogam por amor ao jogo, não por um salário. Acredito que clínicas com treinadores reconhecidos nesse esporte seriam benéficas. Podem ser presenciais ou online, mas proporcionem aos jogadores acesso a esse conhecimento. A FABR precisa continuar atraindo o público para esse esporte, como já vem fazendo. Uma vez que isso aconteça, o esporte se espalhará – completou.

Sobre a negociação com o Galo FA, Michael Long revelou que não foi uma negociação demorada e destacou a participação decisiva do head coach do Tubarões do Cerrado, Fabrício Ataíde.

- Sinceramente, não houve negociação. O general manager Joaquín Kinas e o vice-presidente Eddie me convenceram sobre o Galo e a organização. Foi uma decisão fácil e devo agradecer a Fabrício Ataíde, treinador principal do Tubarões do Cerrado em Brasília. Ele me convenceu a vir para o Brasil e falou o quão maravilhoso é o país. Então, o GM Kinas finalizou o acordo – revelou.

Com mais de 40 anos de experiência no futebol americano, Michael Long jogou na Universidade Estadual de Oklahoma e teve passagens como treinador na Purdue University, na Michigan Panthers (USFL) e em escolas de ensino médio no Texas.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.