Lance Dudamel chama de 'covarde' críticas de Nathan ao seu trabalho

Dudamel chama de 'covarde' críticas de Nathan ao seu trabalho

O venezuelano rebateu as críticas feitas pelo meia sobre os métodos aplicados em sua passagem pelo Atlético-MG

Lance
Lance

Lance

Lance

As declarações do meia Nathan, do Atlético-MG, sobre as metodologias de Rafael Dudamel, ex-treinador da equipe, tiveram uma resposta do venezuelano. Dudamel rebateu o jogador do Galo, que fez duras críticas práticas dentro de campo do técnico e também sobre a disciplina no comportamento do elenco.

Nathan questionou até as regras de refeições que Dudamel colocava para o elenco, como almoçar apenas nos horários determinados e sair da mesa apenas depois que o treinador permitisse.

O Dudamel era um cara que às vezes queria muito mandar, mandar, mandar, deixava a gente trancado no CT e tal. Tem alguns jogadores que não gostam disso e acabavam ficando de saco cheio: Pô, o cara quer mandar em tudo. Só podia almoçar no horário que ele queria. E tem alguns jogadores que gostavam de fazer academia depois do treino. Acabava o treino, e queriam ir para a academia, mas não podiam ir para a academia, porque tinham que estar meio-dia na hora do almoço. Só que o treino acabava tipo 11h40, por exemplo. Tinha que tomar banho rapidão para subir e almoçar. Se não chegasse meio-dia, ganhava multa- contou.-disse o jogador, em entrevista à Record TV.

Dudamel reagiu e disse que a crítica de Nathan foi “covarde” e afirmou que o seu trabalho tinha apoio da diretoria de futebol, ainda sob o comando de Rui Costa, e do presidente Sérgio Sette Câmara.

-Queríamos que todos almoçassem ao mesmo tempo. Um chegava às 12h, outros às 12h30. Isso para mim, como concepção de futebolista, não entrava na minha cabeça. Como seria uma equipe ganhadora se não tinha as mínimas normas coletivas de comportamento? Então, para jogadores que vinham andando por conta própria, isso causou certo choque. Essas declarações me soaram muito covardes, porque as portas da minha sala sempre estiveram abertas para conversar- disse Dudamel em entrevista ao Portal Meridiano Online.

Dudamel afirma que, apesar das medidas tomadas terem desagradado os atletas, ele revelou que tinha respaldo de Sette Câmara.

-Em uma reunião com o presidente, eu disse a ele que, com todo respeito, o Atlético que encontrei era um clube social. Porque as normas que vivi no futebol e os espaços, havia muitas coisas diferentes. Me lembro que ele me disse que o ‘Rei do CT’ se chama Rafael Dudamel e me deixou tomar as medidas que considerava necessárias. Foi tudo tomando um norte e uma forma- explicou.

O ex-comandante alvinegro, que ficou apenas 52 dias no cargo, se disse assustado com a movimentação que havia na cidade do Galo, que parecia um clube social e não um local de treinamentos para o futebol.

-Para mim foi muito difícil, por exemplo, encontrar na concentração o motorista do ônibus, ou a podóloga, ou a secretária do presidente almoçando no mesmo momento dos jogadores, juntos. Fomos dando um pouco de ordem a cada espaço, a cada área, conversando com os jogadores e com cada profissional-finalizou Dudamel que esteve à frente do time em apenas 10 jogos, com quatro vitórias, quatro empates e duas derrotas, sendo eliminado da Copa do Brasil pelo pequeno Afogados-PE, e da Copa Sul-Americana, caindo diante do Únion Santa Fé-ARG.

Últimas