Lance Do campo ao banco, João Burse dá suas impressões no comando do Cianorte

Do campo ao banco, João Burse dá suas impressões no comando do Cianorte

Treinador teve passagens na base de Palmeiras e Vitória antes de assumir seu primeiro desafio em um clube profissional

Lance
Lance

Lance

Lance

Pela segunda vez na história do clube paranaense, o Cianorte chegou na terceira fase da Copa do Brasil onde acabou caindo diante do Santos. Entretanto, nada que diminuísse a importância que teve, principalmente, a bonificação financeira obtida com um valor de R$ 3 milhões adicionais no orçamento para 2021.

>Conheça o aplicativo de resultados do LANCE!

Jovem treinador com apenas 39 anos de idade que foram completados na última quinta-feira (10), João Burse é um dos nomes com boas projeções da nova geração brasileira. Ex-atleta profissional, formado em Educação Física e pós-graduado em Futebol e Futsal, o comandante do Cianorte tirou sua licença B na CBF e encaminha a licença A. João vive sua segunda temporada como treinador profissional e acumula experiências em grandes clubes na base e como interino no Vitória.

- Tive a oportunidade de treinar o Palmeiras no Sub-20 e o Vitória no Sub-17, Sub-20 e Sub-23, posteriormente fiz oito jogos como treinador interino do profissional no clube baiano. A gente conseguiu grandes trabalhos e títulos em ambos os times na base, foi um degrau muito importante na minha carreira como treinador. Quando recebi a proposta do Presidente Lucas Franzato, eu me coloquei à disposição deste desafio no Cianorte e estamos construindo um belo trabalho - disse João Burse.

Os títulos expressivos na base, citados por João, têm grande peso no cenário nacional e internacional. João Burse foi campeão do Paulista Sub-20 em 2013 pelo Mogi Mirim e, no Vitória, conquistou Baianão e Copa do Brasil pelo Sub-17 além da Copa do Nordeste, em 2017, pelo Sub-20 da equipe. Na base do Palmeiras, o treinador fez viagens para Europa e jogou com grandes potencias do Velho Continente como Inter de Milão e Roma.

Dentro desse contexto, para João, a experiência na base tem muita importância.

- Na base aprendi a importância da gestão de grupo. Fiz curso e mantenho contato diário com o Coach, Juan Bernat, hoje no Levante da Espanha. Sei da importância de olhar para o lado subjetivo de cada atleta, entender a pessoa, isso é uma peça-chave para qualquer trabalho. Nós, treinadores, temos que buscar o auxílio uns aos outros, discutir sobre o progressismo do futebol, tática, etc. independente da idade - avaliou.

Em seu estágio final no Palmeiras, João Burse montava os times do sub-20 de acordo com os adversários que o Palestra Itália iria enfrentar no profissional. Este auxílio ao treinador Cuca foi reconhecido e João teve a oportunidade de ir com a delegação do Palmeiras no último jogo da equipe, já com o título brasileiro conquistado naquele ano, do qual participou da preleção, situação de vestiário, além de comandar a equipe nos últimos cinco minutos de uma partida profissional.

Com calendário completo para esta temporada, o mesmo que aconteceu em 2020 após a chegada do atual treinador, o time paranaense volta a campo pela Série D, no próximo domingo (13), contra a Inter de Limeira, às 16h.

Últimas