Djokovic se nutre dos Haters do tênis

Aparicio Meneses e Marcelo Abuchara, psicólogos, especislistas em esportes e no tênis, comentam sobre um dos fatores que dá força mental para Novak Djokovic

Lance
Lance

Lance

Lance

Novak Djokovic conquistou seu 20º título de Grand Slam, igualou os feitos de Roger Federer e Rafael Nadal e é o tenista com mais semanas no topo do ranking. Só esses números já colocam o sérvio em um forte debate para ser chamado de GOAT, o Maior de Todos os Tempos no português.

Poucos dias antes da conquista, o sérvio teve que responder a um jornalista em Wimbledon como seria ser um mau rapaz perseguindo os recordes de Federer e Nadal ? Ele disse não se considerar um mau rapaz e que não perseguia ninguém, mas sim se sentir motivado para competir e buscar os maiores títulos.

Djokovic já comentou outras vezes que se sentia às vezes desconfortável em entrar em vários palcos do mundo tendo torcida contra justamente pela legião de fãs a favor de Federer e Nadal e ele sendo o cara que vem desbancando estes dois e cada dia mais vem ganhando espaço com suas conquistas.

Os Haters do tênis se dão pelo fanatismo e apropriação de filosofia de vida muito parecido com as religiões, a política e o momento político que o nosso país está passando onde algumas famílias se odeiam , vemos familiares brigando , casais terminando relacionamentos por causa de preferências. Isso se dá entre torcidas de futebol , no Brasil e no mundo, sempre pelo fanatismo e o ódio que acaba cegando . Como se fosse uma lavagem cerebral. É muito perigoso isso, mas ao mesmo tempo isso acaba dando muita força para Djokovic, só reforça o movimento que ele tem feito e a obsessão por ser o maior jogador de todos os tempos.

Está ligado também aos pensamentos desadaptativos , crenças errôneas - citadas acima - que só tendem a criar esse tipo de emoção como a raiva, a irritação , o ódio, frustração, elas caminham lado a lado.

Últimas