Depois de novela em acerto de Luxa, Vasco volta monitorar o mercado

Cruz-Maltino passou um longo período analisando o mercado após a demissão de Alberto Valentim e precisará traçar novo perfil com agilidade

Lance

Lance

Lance

Confiante da renovação de Vanderlei Luxemburgo, o Vasco tomou um balde de água fria na última sexta-feira com a decisão do treinador de não continuar na Colina. Agora, a diretoria cruz-maltina se vê novamente na obrigação de analisar o mercado em busca de um nome que consiga suprir todas as necessidades do planejamento para 2020. O cenário não promete ser mais fácil do que o encontrado quando o clube demitiu Alberto Valentim, no início de 2019, mas Abel Braga largou como favorito.

Foi uma questão de dias desde que, em maio, Luxemburgo ganhou forças nos bastidores e acabou anunciado. Valentim foi demitido no fim do Campeonato Carioca e os vascaínos ficaram com Marcos Valadares como interino. Até acertar com o veterano, o Cruz-Maltino foi atrás de Dorival Júnior, Jorge Jesus, Diego Aguirre e Thiago Larghi. O time de São Januário trocou algumas vezes o perfil que desejava até fechar com o novo comandante. E a decisão por Luxa acabou se mostrando acertada, no fim das contas.

Entre as opções disponíveis no mercado, o nome de Abel Braga foi um dos primeiros levantados. E é nessa linha que o Vasco deve seguir, já que se encontrará com o treinador para uma reunião na segunda-feira.. Rogério Ceni era um dos preferidos da torcida, mas acertou a renovação com o Fortaleza neste sábado. Eduardo Barroca, Zé Ricardo, Cuca, Fabio Carille, Ricardo Gomes e Mano Menezes são outros treinadores atualmente desempregados.

O Vasco também não descarta uma opção caseira, pelo menos para o primeiro momento da temporada. Atualmente como auxiliar, Ramon Menezes, ídolo vascaíno, é visto com bons olhos. Além de conhecer o clube, algo considerado importante pela diretoria, ele já tem uma boa relação com o elenco e conhece os jovens da base, que são importantes no que o Cruz-Maltino pensa como planejamento para 2020. Maurício Copertino, auxiliar direto de Luxa, também apareceu nos pedidos da torcida.

Mais do que só a filosofia de trabalho, o Vasco também precisará colocar na balança o aspecto financeiro. Luxemburgo pediu um aumento salarial durante a negociação. Treinadores mais experientes podem chegar próximos desse valor e inviabilizar a contratação, por exemplo. A ideia do Cruz-Maltino é investir com responsabilidade para não cometer loucuras nos cofres.