Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Esporte - Notícias sobre Futebol, Vôlei, Fórmula 1 e mais
Publicidade

Cruzeiro pensa em arena própria: confira projetos de estádios que não chegaram a sair do papel no Brasil

Lance

Lance|Do R7


Ronaldo Fenômeno, dono da SAF do Cruzeiro, revelou, em uma live na Twitch, o sonho de construir uma arena para a Raposa. A informação gerou expectativa nos torcedores. Porém, muitos projetos de estádios de clubes brasileiros ficaram apenas no imaginário. Confira alguns que não chegaram a sair do papel no Brasil.
Montagem: Lance! Foto: Divulgação
Em 2007, o Flamengo, na gestão de Márcio Braga, apresentou à CBF (Confederação Brasileira de Futebol) o projeto de revitalização do estádio na Gávea, onde o clube já tem sua sede.
Em 2007, o Flamengo, na gestão de Márcio Braga, apresentou à CBF (Confederação Brasileira de Futebol) o projeto de revitalização do estádio na Gávea, onde o clube já tem sua sede.
A Arena da Gávea teria capacidade para 30 mil pessoas. Ginásios também seriam reformulados e uma área comercial seria construida. Entretanto, o projeto do Flamengo foi barrado pelo até então governador Sérgio Cabral.
A Arena da Gávea teria capacidade para 30 mil pessoas. Ginásios também seriam reformulados e uma área comercial seria construida. Entretanto, o projeto do Flamengo foi barrado pelo até então governador Sérgio Cabral.
Em 2016, o Flamengo teve em mãos um projeto ambicioso de construção de um estádio para 50.500 pessoas em Pedra de Guaratiba, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. O esboço em vídeo, com maquete da estrutura, ao qual o LANCE! teve acesso, gerou muita expectativa.
Em 2016, o Flamengo teve em mãos um projeto ambicioso de construção de um estádio para 50.500 pessoas em Pedra de Guaratiba, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. O esboço em vídeo, com maquete da estrutura, ao qual o LANCE! teve acesso, gerou muita expectativa.
Um grupo de sócios do clube se comprometeu a colher assinaturas para que a ideia seja apreciada no Conselho Deliberativo do clube. Porém, o projeto não foi pra frente.
Um grupo de sócios do clube se comprometeu a colher assinaturas para que a ideia seja apreciada no Conselho Deliberativo do clube. Porém, o projeto não foi pra frente.
No ano seguinte, em 2017, Flamengo, na gestão Eduardo Bandeira de Mello, assinou um termo de opção de compra de um terreno de 160 mil metros quadrados do Grupo Peixoto de Castro, na Avenida Brasil. O clube havia estudado mais de 40 áreas na cidade e em Niterói até definir o local. A ideia era construir um estádio para 50 mil pessoas.
No ano seguinte, em 2017, Flamengo, na gestão Eduardo Bandeira de Mello, assinou um termo de opção de compra de um terreno de 160 mil metros quadrados do Grupo Peixoto de Castro, na Avenida Brasil. O clube havia estudado mais de 40 áreas na cidade e em Niterói até definir o local. A ideia era construir um estádio para 50 mil pessoas.
O Rubro-Negro, inclusive, chegou a se reunir com parceiros para dar andamento. Porém, o alto índice de violência da região pesou na decisão da diretoria em não exercer a prioridade de compra.
O Rubro-Negro, inclusive, chegou a se reunir com parceiros para dar andamento. Porém, o alto índice de violência da região pesou na decisão da diretoria em não exercer a prioridade de compra.
Em 2016, o Fluminense, na gestão Peter Siemsen, anunciou um acordo por um terreno para construção de um estádio na Barra da Tijuca. 260 dias depois, já na gestão Abad, do mesmo grupo do antecessor, o clube decidiu fazer sua casa no Parque Olímpico.
Em 2016, o Fluminense, na gestão Peter Siemsen, anunciou um acordo por um terreno para construção de um estádio na Barra da Tijuca. 260 dias depois, já na gestão Abad, do mesmo grupo do antecessor, o clube decidiu fazer sua casa no Parque Olímpico.
O Tricolor finalizou o projeto e planejava reuniões com a Prefeitura. A arena teria capacidade para 22 mil pessoas.
O Tricolor finalizou o projeto e planejava reuniões com a Prefeitura. A arena teria capacidade para 22 mil pessoas.
Entretanto, diante da falta de entendimento interno, apoio político e viabilidade financeira, a gestão não sentiu segurança e o projeto não foi adiante. O Fluminense continua mandando seus jogos no Maracanã.
Entretanto, diante da falta de entendimento interno, apoio político e viabilidade financeira, a gestão não sentiu segurança e o projeto não foi adiante. O Fluminense continua mandando seus jogos no Maracanã.
A Arena do Sport foi aprovada pelo Comissão de Controle Urbano (CCU), da Prefeitura do Recife, em 2013. A expectativa do clube era avançar na burocracia e dar sequência na modernização da atual Ilha do Retiro no ano seguinte, que passaria a comportar 45 mil pessoas.
A Arena do Sport foi aprovada pelo Comissão de Controle Urbano (CCU), da Prefeitura do Recife, em 2013. A expectativa do clube era avançar na burocracia e dar sequência na modernização da atual Ilha do Retiro no ano seguinte, que passaria a comportar 45 mil pessoas.
Entretanto, a nova arena não saiu do papel e o Sport, que atravessa situação financeira complicada, prepara reparos na Ilha do Retiro.
Entretanto, a nova arena não saiu do papel e o Sport, que atravessa situação financeira complicada, prepara reparos na Ilha do Retiro.
No final da década de 2000, o São Paulo apresentou um projeto para que o Morumbi sediasse a Copa do Mundo 2014. A diretoria apostava em uma grande reestruturação do estádio.
No final da década de 2000, o São Paulo apresentou um projeto para que o Morumbi sediasse a Copa do Mundo 2014. A diretoria apostava em uma grande reestruturação do estádio.
Apesar dos planos, o Morumbi não foi sede da Copa do Mundo realizada no Brasil e o projeto não saiu do papel.
Apesar dos planos, o Morumbi não foi sede da Copa do Mundo realizada no Brasil e o projeto não saiu do papel.
O Corinthians tinha um projeto em 1968: o Corintião I. O estádio seria construído no Parque São Jorge, mas não houve arrecadação suficiente.
O Corinthians tinha um projeto em 1968: o Corintião I. O estádio seria construído no Parque São Jorge, mas não houve arrecadação suficiente.
Depois de haver um outro projeto, chamado Coringão I, também para o Parque São Jorge, o ex-presidente do Corinthians Vicente Matheus mudou os planos: queria a construção do Coringão II em Itaquera. Porém, segundo ele, a prefeitura não urbanizou a região, o que prejudicou o avanço.
Depois de haver um outro projeto, chamado Coringão I, também para o Parque São Jorge, o ex-presidente do Corinthians Vicente Matheus mudou os planos: queria a construção do Coringão II em Itaquera. Porém, segundo ele, a prefeitura não urbanizou a região, o que prejudicou o avanço.
Corinthians Soccer Stadium também foi um sonho do Timão e seria construído na Raposo Tavares. Porém, assim como os outros, o projeto foi abandonado.
Corinthians Soccer Stadium também foi um sonho do Timão e seria construído na Raposo Tavares. Porém, assim como os outros, o projeto foi abandonado.
Em Itaquera, o estádio Sport Club Corinthians Paulista foi planejado com capacidade para 60.000 pessoas, em 2009.
Em Itaquera, o estádio Sport Club Corinthians Paulista foi planejado com capacidade para 60.000 pessoas, em 2009.
Em 2010, o Timão planejou construir a Arena Corinthians na Avenida Ayrton Senna.
Em 2010, o Timão planejou construir a Arena Corinthians na Avenida Ayrton Senna.
Em 2014, um projeto de estádio ambicioso do modesto Gonçalense, naquele ano na terceira divisão do futebol do Rio de Janeiro, foi divulgado. A Arena Cata-Vento teria capacidade para 43 mil pessoas, no Jardim Catarina, em São Gonçalo.
Em 2014, um projeto de estádio ambicioso do modesto Gonçalense, naquele ano na terceira divisão do futebol do Rio de Janeiro, foi divulgado. A Arena Cata-Vento teria capacidade para 43 mil pessoas, no Jardim Catarina, em São Gonçalo.
Porém, a crise financeira no país estagnaram o projeto. Os custos da obra giravam em torno de 500 milhões de reais.
Porém, a crise financeira no país estagnaram o projeto. Os custos da obra giravam em torno de 500 milhões de reais.
O Santa Cruz lançou, em 2007, o projeto da Arena Coral, que seria uma grande revitalização e modernização do estádio do Arruda. Assim como os anteriores, ficou apenas no papel.
O Santa Cruz lançou, em 2007, o projeto da Arena Coral, que seria uma grande revitalização e modernização do estádio do Arruda. Assim como os anteriores, ficou apenas no papel.
Em 2009, o projeto da Arena Florianópolis, do Figueirense, foi divulgado. O clube já tinha parceiros para construir o estádio, que teria capacidade para 42.473 pessoas.
Em 2009, o projeto da Arena Florianópolis, do Figueirense, foi divulgado. O clube já tinha parceiros para construir o estádio, que teria capacidade para 42.473 pessoas.
A intenção era que a Arena Florianópolis fosse sede da Copa do Mundo 2014. Porém, o estádio não foi construído, outras arenas foram sede no Mundial e o Figueirense atua no Orlando Scarpelli até hoje.
A intenção era que a Arena Florianópolis fosse sede da Copa do Mundo 2014. Porém, o estádio não foi construído, outras arenas foram sede no Mundial e o Figueirense atua no Orlando Scarpelli até hoje.
Houve também um projeto que não era de um clube específico, mas sim de uma cidade e em homenagem ao Rei Pelé. A Prefeitura de Três Corações, em Minas Gerais, anunciou a construção da
Houve também um projeto que não era de um clube específico, mas sim de uma cidade e em homenagem ao Rei Pelé. A Prefeitura de Três Corações, em Minas Gerais, anunciou a construção da

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.