Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

'Cria regra que não existe', diz Renata Ruel sobre novo programa de arbitragem da CBF TV comandado por ex-árbitro Wilson Seneme

Especialista criticou argumentos de chefe de arbitragem da CBF para justificar lances da rodada do Campeonato Brasileiro

Lance|

Renata Ruel, especialista de arbitragem do canal ESPN, criticou o programa da CBF TV sobre análises dos árbitros nas partidas do Campeonato Brasileiro. A atração teve estreia nesta última terça-feira e promete ter uma edição semanal para analisar os lances polêmicos das futuras rodadas do torneio.

A comentarista destacou como positiva a iniciativa da CBF. No entanto, ressaltou estar preocupada com a análise de alguns lances da rodada pelo ex-árbitro Wilson Seneme. Na visão de Renata, o atual chefe da comissão de arbitragem da confederação 'cria' regras para justificar os lances.

+ ‘Autor’ de pênalti polêmico, Rafinha é sincero sobre ‘perseguição’ da arbitragem ao São Paulo: ‘É até chato a gente ficar falando’

- Vejo a iniciativa com ótima, aumenta a transparência que tanto se pede sobre a arbitragem. Entretanto, não resolve os problemas e na verdade pode gerar mais - iniciou Renata Ruel.

Publicidade

O primeiro ponto destacado pela especialista de arbitragem foi a análise equivocada do lance entre Endrick, do Palmeiras, e o goleiro Cleiton, do Bragantino.

- Ao analisar, ele (Wilson Semene) fala que quando o goleiro está saltando com as mãos no alto para ir na bola tem uma proteção da regra. Porém, isso não existe na regra e nem em orientações, nunca existiu. Isso é sério, é perigoso, cria-se um precedente para análises e marcações que não fazem parte da regra - comentou.

Publicidade

+Vasco vai até a CBF para cobrar explicações sobre a arbitragem do jogo contra o Santos

Outra análise destacada pela especialista foi a falta apitada no gol do São Paulo contra o Corinthians. O lance envolve um possível empurrão de Calleri em Fagner

Publicidade

- Seneme fala que a bola está em direção ao Fagner que sobe primeiro e por isso há preferência. Mais uma vez uma fala que me assusta, pois nunca se ouviu isso no futebol e vejo como algo a ser analisado de forma equivocada novamente. A bola é alçada na área, está em distância de disputa de ambos, não há preferência de ninguém no lance - concluiu.

Esses foram os dois pontos destacados por Renata Ruel em análise do vídeo do chefe da comissão de arbitragem da CBF. Esses foram apenas dois lances polêmicos da sexta rodada do Campeonato Brasileiro. 

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.