Coordenador médico do Bahia faz primeira avaliação de retomada presencial

Elogiando a aplicação dos protocolos sanitários, o Dr. Luiz Sapucaia é otimista na questão de recuperação física e também psicológica dos atletas

Lance

Lance

Lance

Nessa terça-feira (16), o Bahia dá sequência a ideia de retomar em caráter presencial os treinos no Centro de Treinamento Cidade Tricolor onde o coordenador médico do clube, o Dr. Luiz Sapucaia, fez suas avaliações iniciais de cumprimento dos protocolos.

Para ele, todos os departamentos tiveram um bom entendimento da questão além de elogiar a elaboração das medidas de segurança que vem sendo seguidas em muito mediante ao profundo embasamento que foram constituídas:

- Esse é um protocolo que nós criamos já há 30, 40 dias. É um protocolo muito seguro, que tem se utilizado de bases internacionais. Utilizamos os protocolos europeus e, inclusive, também o protocolo desenvolvido pela CBF que contou com a colaboração de 180 médicos envolvidos com a área de futebol. E temos a sorte de contar com um CT que tem amplo espaço, boa ventilação e eu tive muita tranquilidade e segurança na solicitação do cumprimento dos protocolos junto aos meus pares, ao departamento físico, ao departamento de nutrição, fisioterapia. Todos atenderam perfeitamente e entenderam como deve funcionar o protocolo. Portanto, hoje foi um dia em que a gente sai muito feliz porque todos entenderam.

Em relação a triagem médica e o processo de higienização da estrutura, o Dr. Luiz salientou o intenso trabalho feito, principalmente, no monitoramento da realidade em que atletas e funcionários estão expostos também fora do ambiente das dependências do Esquadrão.

- A triagem começou desde que fizemos a testagem. Nós fizemos um questionário avaliativo durante todo o período da triagem, com todos os atletas, antes de fazer os exames. Fizemos todos os exames de COVID já com informações de todo esse período de afastamento deles com suas famílias. Fizemos a avaliação médica do ponto de vista de lesão, se alguém sentiu alguma coisa nesse período, se teve algum machucado, coisas do gênero. Hoje (16), nós retomamos os treinos e fizemos a tomada de temperatura de todos os atletas na chegada junto com a higienização de todos eles. Eles trarão os questionários diuturnamente, todas as vezes que eles vierem treinar eles trarão os questionários respondidos com suas famílias, se alguém teve febre, tosse, algum sintoma novo. Só depois disso é que nós adentraremos ao ambiente de campo - afirmou.

Em relação a perda física e a influência psicológica causadas pela pausa forçadas das competições e também dos treinamentos no CT, o médico entende que o processo de recuperação foi acelerado pela manutenção de atividades em meio ao isolamento, mesmo que com menor intensidade.

Com o adendo de que, para os jogadores que passavam pelo processo de transição e suas recuperações de contusão (casos do lateral Giovanni além dos meio-campistas Marco Antônio e Élton), essa pausa serviu para que eles voltem em patamar mais próximo do restante do plantel do Bahia:

- De fato, temos um período grande afastado das atividades do ponto de vista de intensidade. Nós mantivemos os músculos todos acordados, mas evidentemente temos uma perda volumétrica importante nesse período de afastamento que, ao meu ver, equivale a um período de férias e a gente retorna hoje com os mesmos protocolos de reapresentação de um período longo. Então, é natural que a gente tenha uma perda de qualidade no volume físico, mas que se recupera muito rápido porque a gente manteve nesse período um volume de atividade muito melhor do que quando eles (jogadores) estão de férias. Então, a gente perde um pouco, mas recupera também muito rápido.

- Todos os atletas que estavam afastados já estavam na transição antes da parada, já faziam a parte de treino com bola. Marco Antonio já estava caminhando normal. Permanecem fazendo suas atividades igual a todos os parceiros do grupo e, agora, estão aptos a retornar junto com o grupo - acrescentou.

O Tricolor divulgou em nota oficial na última segunda-feira (15) que dois atletas tiveram os resultados de testes dando positivo para o novo coronavírus. Como eles inicialmente estão assintomáticos, o Dr. alegou que existe um modelo específico de trabalho para eles desde que suas situações clínicas permaneçam dessa forma:

- Nós desenvolvemos um protocolo para esses atletas manterem o estímulo da parte física respeitando qualquer quadro sintomatológico que se apresente. Portanto, se alguém sentir febre, dor de cabeça, tosse, falta de ar, qualquer sintoma que apareça, eles devem procurar o departamento médico que vai avaliar o que deve ser feito.