Conselheiros votam contra a redução de membros vitalícios no Palmeiras

Em reunião na noite desta segunda-feira, Conselho Deliberativo rejeitou as propostas para diminuir para 120 ou 100 o número de membros do órgão com mandato até o fim da vida

Lance

Lance

Lance

Em reunião na noite desta segunda-feira, o Conselho Deliberativo (CD) do Palmeiras rejeitou duas propostas de redução do número de membros vitalícios no órgão. Agora, ambas vão para votação dos sócios do clube e, para que a diminuição ocorra, é necessária aprovação de 2/3 dos votos.

Mudar a quantidade de conselheiros com mandato até o fim da vida (são 135 atualmente) tem sido um dos pontos de maior discussão na política do clube recentemente. Em 30 de setembro, quando dois novos foram eleitos conselheiros vitalícios, houve protesto com faixas em frente ao Allianz Parque.

O Conselho Deliberativo é formado por 300 conselheiros, divididos da seguinte forma: 148 vitalícios e 152 com mandatos de quatro anos. A primeira proposta votada nesta noite, de redução para 120 vitalícios, teve a aprovação de 130 e reprovada por 76. A diminuição para 100 também não chegou perto da maioria: 77 favoráveis e 133 contrários. Os sócios poderão votar nas duas.

A eleição por novos conselheiros vitalícios é um ponto de longo debate no Palmeiras. Isto porque ao votar a mudança de estatuto, uma das pautas era a diminuição de vitalícios. O Conselho brecou esta proposta, e, por isso, a assembleia de sócios votou se concordava, ou não, com a decisão do CD de manter o número atual.

Os associados votaram contra a decisão do conselho, mas não em número suficiente para reverter a decisão e diminuir o número de vitalícios. A expectativa era de que o tema voltasse a ser tratado no CD, o que não aconteceu. Em janeiro, Seraphim Del Grande, presidente do CD, convocou votação, que elegeu oito vitalícios.

Ainda nesta noite, também não foi aprovada a ideia de votação de uma chapa para presidente e vice-presidente do CD - assim, segue a possibilidade de que eleição de candidatos de linhas distintas nos cargos. Essa proposta também segue para votação dos sócios.