Lance Confederações de vôlei, rúgbi, atletismo, judô e tênis de mesa se destacam em análise sobre gestão

Confederações de vôlei, rúgbi, atletismo, judô e tênis de mesa se destacam em análise sobre gestão

Rating Integra, ferramenta para avaliar o grau de governança, integridade e transparência das entidades esportivas brasileiras, finalizou o segundo ciclo

Lance
Lance

Lance

Lance

O Rating Integra, ferramenta para medir o grau de governança, integridade e transparência das entidades esportivas brasileiras (confederações, federações e clubes), lançou nesta segunda-feira os resultados do seu segundo ciclo, relativo a 2020. Para as empresas interessadas em investir no esporte, a iniciativa fornece um parâmetro importante para patrocínios e outras ações.

Onze entidades atenderam aos critérios exigidos, serão reconhecidas e autorizaram a divulgação das suas avaliações: Associação Nacional de Desportos para Deficientes (ANDE); Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt); Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa); Confederação Brasileira de Desportos na Neve (CBDN); Confederação Brasileira de Golfe (CBGolfe); Confederação Brasileira de Hipismo (CBH); Confederação Brasileira de Judô (CBJ); Confederação Brasileira de Rugby (CBRu); Confederação Brasileira de Tênis de Mesa (CBTM); Confederação Brasileira de Triathlon (CBTri); e Confederação Brasileira de Voleibol (CBV).

- Essas organizações comprovaram a implementação de princípios recomendáveis no campo da gestão e das relações institucionais. O reconhecimento é importante para que o aprimoramento continue e a integridade e a transparência do segmento sejam cada vez mais comuns - afirma João Paulo Diniz, membro do Conselho Gestor do Pacto pelo Esporte – acordo empresarial que criou o Rating Integra em conjunto com a ONG Atletas pelo Brasil, o Instituto Ethos, o Comitê Olímpico do Brasil (COB) e o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB).

Em comparação com o primeiro ciclo, que teve resultados anunciados no final de 2019, o segundo ciclo do Rating Integra mostra avanços significativos. Na edição inaugural houve a inscrição de 26 entidades esportivas, com 16 concluindo o processo de avaliação. Desta vez, 44 entidades se inscreveram, sendo que 24 delas completaram todo o percurso.

Os desempenhos das gestões, indicados por notas de 0 a 10, melhoraram. Na edição inaugural, o melhor resultado foi 8,7. O menor, 2,4, com uma média geral de 4,65. Desta vez, a maior nota obtida foi 9,17. A menor, 4,2, enquanto a média foi de 6,83.

- É gratificante constatar os saltos em participação e performance, bem como a assimilação crescente, pelas entidades, de que o Rating Integra não é um ranking. O objetivo é contribuir para a melhora do cenário esportivo no Brasil - comenta Daniela Castro, também do Conselho Gestor do Pacto pelo Esporte.

O segundo ciclo contou com maior adesão de entidades de pequeno porte – 58%, ante 29% de médias e 13% de grandes. As participantes estão predominantemente localizadas na região Sudeste (70,8%); em seguida, no Sul (16,7%) e no Centro-Oeste (12,5%).

Entre os quesitos com melhor desempenho, Transparência nas regras de competição, Representação de atletas e Prestação de contas para o governo foram os destaques. Os principais aspectos a melhorar, por sua vez, são a Gestão de fornecedores, as Políticas, normas e controles internos e o Sistema de integridade (Compliance).

- Analisando os resultados dos dois ciclos do Rating Integra, percebemos que a gestão de fornecedores e os mecanismos de integridade (compliance) permanecem como principais desafios para as organizações esportivas brasileiras. Esses indicadores registraram notas melhores na avaliação mais recente, o que é animador - aponta Caio Magri, diretor-presidente do Instituto Ethos.

Um benefício para as entidades que participaram do segundo ciclo do Rating Integra será a inclusão numa plataforma digital que as aproximará de empresas patrocinadoras. A novidade, a ser lançada ainda este ano, foi desenvolvida pela startup Armatore Market + Science, especializada na aplicação de soluções em ciência de dados no mercado esportivo, no âmbito do centro de inovação Arena Hub.

- Os projetos esportivos terão mais visibilidade e o relacionamento ficará mais dinâmico, estimulando mais parcerias. As entidades e as marcas vão se fortalecer - declara Daniela Castro.

As empresas signatárias do Pacto pelo Esporte se comprometeram a utilizar o Rating Integra para definir seus investimentos no esporte.

- O Rating Integra é fruto de uma grande união em prol de um ambiente de negócios melhor, favorecendo os atletas, as entidades, os parceiros comerciais e a sociedade como um todo - ressalta Kévin Chevalier, diretor executivo da Atletas pelo Brasil e do Pacto pelo Esporte.

A data de abertura do terceiro ciclo do Rating Integra será definida em breve pelo Comitê Gestor, e as entidades esportivas poderão confirmar participação através do site www.ratingintegra.org.br. Para que a ferramenta se fortaleça ainda mais, o Comitê Gestor do Rating desenvolveu uma matriz específica para a participação dos clubes de futebol.

- Essa é uma área bastante atraente para as marcas, pela base enorme de fãs e pela grande visibilidade, e que também pode ampliar parcerias comerciais mediante um compromisso formal com a melhoria na gestão - disse Daniela Castro.

Últimas