Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Esporte - Notícias sobre Futebol, Vôlei, Fórmula 1 e mais
Publicidade

Com final eletrizante, Espanha bate Suécia e se classifica para a final da Copa do Mundo Feminina

Dentro dos 10 minutos finais, Paralluelo abriu o placar para a Roja; Blomqvist chegou a empatar, mas Olga Carmona decidiu...

Lance

Lance|Do R7


Lance
Olga Carmona é festejada por companheiras após golaço da vitória (Foto: Marty MELVILLE / AFP)

Na manhã desta terça-feira, a Espanha bateu a Suécia por 2 a 1, em jogo válido pela semifinal da Copa do Mundo Feminina. Em duelo morno, as seleções protagonizaram uma batalha nos dez minutos finais. Salma Paralluelo abriu o placar para a Roja, mas Blomqvist empatou já aos 43 da segunda etapa. Porém, no minuto seguinte, Olga Carmona marcou um golaço de fora da área e decidiu o confronto.

+ Confira todas as informações da Copa do Mundo Feminina

Com o resultado, a Espanha garantiu o passaporte para Sydney, onde no domingo, enfrentará a vencedora da semifinal entre Austrália e Inglaterra pelo inédito título mundial. Já a Suécia, que já tem uma final no currículo, ficou para trás e disputará o terceiro lugar um dia antes, contra a perdedora do duelo entre as Matildas e as Lionesses.

+ Torça pela nossa Seleção Feminina com camisas a partir de R$29,90

Publicidade

Veja os cinco principais pontos do confronto

!HISTÓRIA NO APITO! A árbitra do confronto foi a brasileira Edina Alves Batista, que chegou a um recorde nesta terça-feira: é a pessoa brasileira que mais apitou jogos de Copa do Mundo, superando Carlos Eugênio Simon.

Publicidade

!PEGA UM PAPEL! A melhor do mundo, Alexia Putellas, acertou linda caneta em Filippa Angeldahl e quase marcou um dos gols mais bonitos da competição, sendo parada pelo corte de cabeça de Magdalena Eriksson.

!SEMPRE ELA! Já na segunda metade do jogo, a heroína das quartas, Salma Paralluelo, entrou em campo. E entrou para decidir. Após corte errado da defesa sueca, a camisa 18 pegou a sobra dentro da área e emendou de perna direita, jogando no canto de Zecira Musovic e abrindo o placar.

Publicidade

!VOLTANDO À VIDA! No fim do jogo, a Suécia pressionou pelo empate e marcou. Em bola alçada na área, Lina Hurtig subiu para cabecear, ajeitou em direção ao meio e Rebecka Blomqvist apareceu para bater de chapa, com estilo, no ângulo de Cata Coll, que nada pôde fazer.

!FRENÉTICAS! No minuto seguinte ao gol do empate sueco, a Espanha se recolocou em vantagem e marcou o gol da vaga na final. Em cobrança de escanteio curta, Teresa Abelleira achou Olga Carmona, que achou uma pancada em direção ao gol. A bola chegou a ser tocada por Musovic e beijou o travessão antes de entrar e colocar a Roja na decisão.

Como foi o primeiro tempo?

As duas equipes não abriram mão de sua forma de jogar na metade inicial, seguindo a estratégia que as levou até a semifinal da Copa. A Espanha, com mais posse de bola, controlou as ações do jogo e teve sua melhor oportunidade com Olga Carmona, em chute de fora da área que passou com perigo. Já a Suécia, mais reativa, se fechou em seu campo e apostou na bola aérea e nos contra-ataques. Numa dessas, quase marcou no fim com Fridolina Rolfo, que emendou lindo chute de canhota e parou em Cata Coll. Sem mais oportunidades, as seleções desceram para o intervalo com o placar zerado.

E a segunda etapa?

Com certo receio de abrir o time e sair para o jogo, ambas as equipes ficaram mais reclusas. apostando uma no erro da outra para buscar o primeiro gol do confronto. E quando tudo se encaminhava para a prorrogação, apareceu um nome iluminado. Salma Paralluelo, aos 36 minutos, pegou sobra dentro da área e bateu de perna direita para acertar o canto de Musovic e colocar a Espanha na frente. Precisando pressionar, a Suécia começou sua série de chuveirinhos na área da Roja para voltar à vida e marcou com Rebecka Blomqvist, em lindo chute de direita, já aos 43. No minuto seguinte, veio o castigo: em escanteio curto, Olga Carmona recebeu de Abelleira na entrada da área e acertou uma bomba de canhota, marcando o gol da classificação em fim de confronto emocionante.

Como ficou a situação das equipes?

O gol de Olga Carmona colocou a incrível geração espanhola na final pela primeira vez na história da seleção. Agora, a outra finalista será conhecida na quarta-feira (16), vinda do confronto entre Austrália e Inglaterra. A Suécia, que almejava chegar em sua segunda final e reescrever a história de 2003, ficou pelo caminho e disputará o jogo do terceiro lugar pela quarta vez em sua trajetória na competição.

+ Pia Sundhage na ‘berlinda’ na Seleção Brasileira: veja cinco nomes possíveis para substituí-la

FICHA TÉCNICA

Espanha 2x1 Suécia

Data e horário: terça-feira, 15 de agosto de 2023, às 5h (de Brasília)

Local: Eden Park, em Auckland (NZE)

Arbitragem: Edina Alves Batista (árbitra); Neuza Inês Back e Leila Cruz (auxiliares); Melissa Borjas (quarta árbitra); Nicolás Gallo e Armando Villarreal (VAR)

Público: 43.217 presentes

Cartões amarelos: -

Gols: Salma Paralluelo, aos 81', e Olga Carmona, aos 89' (ESP); Rebecka Blomqvist, aos 88' (SUE)

ESPANHA (Treinador: Jorge Vilda)

Catalina Coll; Ona Batlle, Irene Paredes, Laia Codina e Olga Carmona; Aitana Bonmatí, Teresa Abelleira e Alexia Putellas (Salma Paralluelo); Alba Redondo (Eva Navarro), Mariona Caldentey (Esther González) e Jennifer Hermoso

SUÉCIA (Treinador: Peter Gerhardsson)

Zecira Musovic; Nathalie Bjorn, Amanda Ilestedt, Magdalena Eriksson e Jonna Andersson; Filippa Angeldahl e Elin Rubensson (Lina Hurtig); Rytting Kaneryd (Olivia Schough), Kosovare Asllani e Fridolina Rolfo; Stina Blackstenius (Rebecka Blomqvist)

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.