Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Esporte - Notícias sobre Futebol, Vôlei, Fórmula 1 e mais
Publicidade

Cinco motivos que levaram a Seleção Brasileira à eliminação na Copa do Mundo Feminina

Falta de padrão de jogo, elenco e preparação estão entre algumas das razões para saída na fase de grupos da competição

Lance

Lance|Do R7


Lance
Ary Borges, autora de três gols na estreia, não conseguiu furar a bem armada defesa jamaicana (Foto: Willian West/AFP)

De forma surpreendente, a Seleção Brasileirafoi eliminada da Copa do Mundo Feminina nesta quarta-feira (2), após empate em 0 a 0 com a Jamaica. A partida, arrastada do começo ao fim, foi uma tônica do Brasil nos últimos anos: um combo formado por falta de padrão de jogo, decisões erradas de Pia Sundhage, muitos erros individuais e força mental.

Após uma goleada em cima da fraca seleção do Panamá, uma derrota para a França, com direito a gol na reta final da partida, colocou as brasileiras em uma espécie de mata-mata antecipado com as jamaicanas. O lado mental e a pouca criatividade das brasileiras foram determinantes na partida, que acabou com um 0 a 0 insuficiente para o Brasil avançar de fase.

+ OPINIÃO: Seleção Brasileira se despede da Copa do Mundo com campanha vexatória e dá sinais de falha em reformulação

Confira cinco razões para a queda!

Publicidade

1️⃣ Pia Sundhage e a falta de padrão de jogo

Apresentada em julho de 2019, a badalada Pia Sundhage não conseguiu imprimir seu modelo de jogo na Seleção. Bicampeã olímpica, a sueca sofreu com a falta de opções e o envelhecimento das principais jogadoras, não conseguindo renovar a equipe a ponto de melhorar a campanha na Copa anterior. Além disso, tomou algumas decisões precipitadas ao longo das partidas.

Publicidade

A edição do Mundial de 2023 foi, aliás, pior que a de 2019, ano em que o Brasil caiu nas oitavas de final. Já nessa, nem chegou lá.

2️⃣ Força mental

Publicidade

O equilíbrio psicológico das jogadoras brasileiras também fez falta nas partidas. Na derrota para a França, por exemplo, mesmo após conseguir o empate, a equipe se desestabilizou e levou um gol em escanteio, na reta final da partida. Na partida contra a Jamaica, após os 30 minutos do 2º tempo, o time abandonou o pouco futebol que apresentava e entregou nas mãos da sorte e do chuveirinho a responsabilidade da classificação. Não deu certo.

+ Copa do Mundo Feminina: confira os próximos jogos e os chaveamentos definidos das oitavas de final

3️⃣ Erros individuais e a falta de coragem para arriscar

O que foi visto na Seleção Brasileira durante a Copa do Mundo Feminina foi a falta de convicção para arriscar e uma quantidade excessiva de erros individuais. Seja de Pia para fazer alterações ou das próprias jogadoras para finalizar e caprichar mais nas tomadas de decisões, a equipe tentou jogar de forma segura e burocrática na maioria das vezes e isso custou um preço caríssimo.

4️⃣ Martadependência

Maior jogadora da história do futebol feminino, Marta não conseguiu desempenhar nesta Copa do Mundo. Aos 37 anos e sem jogar regularmente, a Rainha escancarou a necessidade do Brasil em renovar seu futebol feminino, mas isso não será alcançado sem investimento desde a base e apoio aos clubes. A própria Marta, inclusive, pediu renovação ao fim da partida. Lacuna difícil de preencher.

5️⃣Mais investimento

Bater na tecla de investimento no futebol feminino é um assunto recorrente no Brasil, infelizmente. Os clubes e as jogadoras, por vezes, não têm o apoio necessário, apesar do cenário mostrar evoluções nos últimos anos. Mesmo assim segue longe do que é visto nos países mais tradicionais da modalidade, como Estados Unidos e Alemanha, por exemplo. Para alcançar grandes resultados e títulos, é necessário formar jogadoras, construir uma base e criar uma cultura de suporte ao futebol feminino brasileiro.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.