Chile diz que final da Libertadores depende de volta do futebol local

Reuniões marcadas para esta terça-feira podem ser decisivas para o destino do confronto entre Flamengo e River Plate, marcada para Santiago

Estádio Nacional deve receber final entre Flamengo x River Plate-ARG

Estádio Nacional deve receber final entre Flamengo x River Plate-ARG

Lance

Felipe Guevara, prefeito de Santiago, declarou a uma rádio argentina, nesta segunda-feira (4), que a realização da final da Copa Libertadores, entre Flamengo e River Plate, na capital chilena, está condicionada à retomada do futebol local. O campeonato nacional está paralisado há três semanas, desde que protestos contra o governo atual eclodiram por todo o país, resultando em conflitos e prisões. A decisão do torneio continental, até o momento, está mantida para o dia 23 de novembro.

Estão agendadas, nesta terça-feira, duas reuniões em Santiago que podem ser decisivas para a organização da final. A primeira, do Sindicado dos Jogadores, sobre a possibilidade do retorno das atividades futebolísticas no país a partir do próximo sábado. A outra reunirá a ANFP (a CBF do Chile) e outras autoridades.


Para a mesma data, a Conmebol convocou reunião com os representantes de Flamengo e River Plate (ARG) além de membros das federações de futebol do Brasil, Argentina e Chile. O objetivo é "revisar todos os aspectos da organização da final única", que, por ora, segue confirmada para o Estádio Nacional de Santiago, no Chile, com início às 17h30 (de Brasília).

Os presidentes Rodolfo Landim, do Flamengo, e Rodolfo d'Onofrio, do River, estarão presentes. A Conmebol confirmou o encontro, o qual acontecerá na sede da entidade em Luque, no Paraguai.

Nesta segunda-feira, rodou nas redes sociais uma programação de protestos para a data da final Libertadores. A onda foi impulsionada pela hashtag #NoHayCopa ("Não há Copa", em tradução livre).

Protestos estão marcados para o mesmo horário da final em Santiago

Protestos estão marcados para o mesmo horário da final em Santiago

Lance

Rivais provocam corintiano Cássio: 'Saiu para não tomar mais gols'