Cerezo completa 65 anos e recebe homenagens pela história no futebol

O meio de campo fez seu nome com as camisas do Atlético-MG, Roma, Sampdoria, São Paulo e até no rival Cruzeiro

Lance

Lance

Lance

Um dos maiores meio de campos da história do futebol completou 65 anos de vida nesta terça-feira, 21 de abril. Toninho Cerezo, tem rica história no futebol brasileiro com passagens emblemáticas pelo Atlético-MG, Roma e Sampdoria, ambos da Itália, São Paulo, onde foi campeão do mundo em 1993, e até no Cruzeiro.

Cerezo jogou duas Copas do Mundo, de 1978 e 1982, fazendo parte do time que ainda embala os sonhos de uma geração que torceu pela seleção canarinho na Espanha.

O ex-jogador, foi vice-campeão da Ligas dos Campeões pelo Roma, em 1984, mas a idolatria dos italianos vem dos torcedores da Samp, onde ajudou o clube de Genoa a conquista seu único Scudetto, em 1991, sendo um dos destaques da equipe.

A Sampdoria, clube que Cerezo defendeu entre 1986 e 1992, homenageou o volante, chamado de "calcio samba" do meia com lances dele na Itália. Veja o vídeo acima.

Com Cerezo, também formavam o maior time da Sampdoria na história outros nomes de peso do futebol internacional como Pagliuca, Vialli, Lombardo, Dossena e Mancini, que também estiveram nas conquistas com o brasileiro de duas Copas da Itália, uma Supercopa Italiana a extinta Recopa da Europa de 1990. Toninho Cerezo também venceu pela Roma, ganhando a Copa da Itália, em 1984 e 1986.

Hexacampeonato e volta triunfante ao Brasil

Antes do sucesso na Itália, Cerezo fez parte de um dos maiores esquadrões da história do Galo, com Éder Aleixo, Reinaldo, João Leite, Luizinho e Nelinho, que foi hexacampeão mineiro entre 1978 a 1983, sendo um dos grandes times no Brasil no final dos anos 1970 e início da década de 1980.

Após o sucesso na Europa, voltou ao Brasil para jogar no São Paulo, sendo um dos líderes do time de Telê Santana, que se tornaria bicampeão do mundo em 1993, em cima de uma equipe italiana, o Milan. Cerezo fez um dos gols na vitória por 3 a 2 naquela jornada épica.

Aos 42 anos, encerrou a carreira nos gramados em um jogo amistoso contra o Milan, pela Copa Centenário de BH, em 1997. O torneio comemorou os 100 anos da capital mineira.

Após pendurar as chuteiras, Toninho Cerezo se tornou treinador e teve sucesso no Kashima Antlers, do Japão, onde conquistou dois títulos japoneses e uma Copa do Imperador nos anos 2000.