CEO da Fórmula E celebra sucesso de medidas para conter o coronavírus

Alberto Longo destacou a importância das corridas mesmo com a pandemia

Lance

Lance

Lance

A Fórmula E está prestes a encerrar a temporada 2019/20 em Berlim, onde disputará nesta quarta e quinta-feira suas últimas corridas após as quatro provas realizadas dias atrás no Aeroporto de Tempelhof, onde António Félix da Costa e a DS Techeetah já se consagraram campeões.

A categoria conseguiu chegar a esse momento após passar por momentos difíceis devido à pandemia do coronavírus, mas, em meio a rígidas medidas de biossegurança, está prestes a alcançar algo que meses atrás parecia impossível.

- Não somos os primeiros e não somos os únicos, mas obviamente o entretenimento é muito importante para este momento que estamos vivendo, um momento muito infeliz no qual a COVID-19 teve um tremendo efeito em nosso cotidiano. Eu acho muito bom ver empresas como a Fórmula E e tantas outras que estão demonstrando que pouco a pouco e com medidas de segurança exaustivas, é possível voltar ao normal. É uma pena que estamos dizendo isso de máscara e sem público em nosso evento, mas acho que com o tempo, vamos nos acostumar com essa nova normalidade. O que mais importa para todos nós é a saúde das pessoas e é por isso que todas as medidas de distanciamento social para todos que estão presentes nas corridas, para de alguma forma garantir que as pessoas voltem para casa em segurança - afirmou Alberto Longo, co-fundador e Deputy CEO da ABB FIA Fórmula E.

Vitória de Rowland

O britânico Oliver Rowland da Nissan e.Dams venceu a prova realizada nesta quarta-feira, no Aeroporto de Tempelhof, em Berlim, na Alemanha e agora é o vice-líder da temporada.

O piloto de 28 anos mostrou um bom ritmo de qualificação em sua temporada de estreia no ano passado com duas pole positions – e uma terceira que foi cancelada pelos comissários – mas finalmente conseguiu transformar isso em uma vitória, ao se manter na frente do início ao fim e receber a bandeirada.

O top-3 foi completado pelo holandês Robin Frijns da Envision Virgin Racing, que registrou seu terceiro resultado entre os quatro primeiros em cinco corridas disputadas em Berlim, e com o piloto alemão campeão da DTM Rene Rast, em apenas sua quinta corrida de Fórmula E, conquistando seu primeiro pódio pela Audi Sport ABT Schaeffler.

Foi um dia ruim para os pilotos brasileiros. Felipe Massa largou em oitavo e terminou apenas em 13º.

Em sua quinta prova na categoria, Sérgio Sette Câmara largou em nono e terminou em 15º.

Já Lucas di Grassi largou no fundo do grid, até esboçou uma reação mas acabou levando a pior em uma disputa de posição com o campeão Antonio Félix da Costa e terminou apenas em 21º.