Ceni diz que se trancou por dois dias em casa para entender demissão

O treinador, de volta ao Fortaleza, explicou que só aceitou retornar pelo carinho que tem com a equipe nordestina e a vontade de manter time na elite

Rogério Ceni quer manter o Fortaleza na primeira divisão

Rogério Ceni quer manter o Fortaleza na primeira divisão

Lance

O ex-técnico do Cruzeiro e atual do Fortaleza, Rogério Ceni, falou sobre a sua saída da Raposa e retorno ao clube nordestino. Ceni revelou que ficou dois dias trancados dentro de casa, em Belo Horizonte, buscando compreender o motivo de ter deixado o clube mineiro, no último dia 26 de setembro, por divergência com o elenco estrelado.

Rogério afirmou também que iria ficar até o fim do ano sem trabalhar, mas resolveu voltar por um pedido do presidente do Fortaleza, Marcelo Paz, pelo carinho com o clube nordestino, além do desafio de manter o Leão do Pici na primeira divisão do Campeonato Brasileiro.

"O que me motivou muito a voltar ao Fortaleza, depois de dois dias trancado dentro de casa em BH pensando muito no que havia acontecido, foi a gratidão, o carinho, a energia do povo daqui, a persistência do presidente Marcelo Paz, do ex-presidente doutor Girão e os atletas que aqui deixei, um grupo bem bacana de se trabalhar, com o acréscimo de três ou quatro jogadores que chegaram após a minha saída", disse Ceni, em entrevista à rádio Jovem Pan de Fortaleza.

O técnico também reforçou a gratidão pelo Fortaleza para aceitar o convite do clube novamente.

"Então, eu tinha a opção de descansar, que eu queria mesmo, estava predisposto a isso, mas também não queria deixar o Fortaleza nesta briga grande, vai ser ponto a ponto até o final para escapar do rebaixamento. Porém, pela persistência e pela gratidão de tudo que aconteceu aqui, é um risco grande para a minha carreira, mas eu não podia deixar de voltar para cá", completou.

Ceni comandou a Raposa em oito jogos, com quatro derrotas, duas vitórias e dois empates, com 33,3% de aproveitamento.

Gol é com eles! Veja números do duelo entre Gabigol e Cebolinha