Castán cobra o acerto de pagamentos no Vasco: 'É para a rapaziada passar um Natal mais tranquilo'

Zagueiro diz que grupo que manteve o time na Série A do Brasileiro e que ainda o classificou para a Sul-Americana, 'foi homem para caramba' durante a temporada

Lance

Lance

Lance

Após o Vasco empatar com a Chapecoense em 1 a 1, no Maracanã, neste domingo, pela última rodada do Campeonato Brasileiro, o zagueiro Leandro Castán cobrou a diretoria para que os salários do elenco, da comissão técnica e dos funcionários estejam em dia. O Gigante da Colina encerrou o Brasileirão em 12º lugar, com 49 pontos, o que o classificou para a Sul-Americana de 2020.

Confira a classificação final do Campeonato Brasileiro

— O campeonato acabou, os prazos estão estipulados. Somos profissionais, tempos família. Tem gente começando a carreira ainda, necessitam de salário. Não só jogadores, como funcionários. Esperamos que se cumpra isso, que tudo seja pago. É para a rapaziada ter um Natal tranquilo. Nós nunca expusemos isso porque procuramos ser profissionais dentro de campo, fazer nosso trabalho. O Vanderlei (Luxemburgo, técnico), quando chegou, assumiu a nossa bronca — disse o defensor.

Castán ainda elogiou o empenho do elenco e o apoio dos torcedores, que se associaram em massa ao clube — mais de 176 mil já aderiram ao programa — e estiveram em grande número no Maracanã neste domingo.

— Tudo isso que a torcida fez é inexplicável. Eu nunca tinha visto isso no futebol mundial. Quando a gente veste a camisa do Vasco, tem que pensar em coisa grande. Infelizmente, neste ano, ficamos abaixo do esperado. Apesar de tudo que fizemos nesta temporada, de todos os problemas, a gente fica um pouco aliviado de ter chegado sem risco de rebaixamento neste última rodada, além de uma vaga na Sul-Americana. Pelo que a torcida fez durante todo o ano, ela merece um time competitivo, que possa brigar por coisas grandes, mas esse grupo não pode ser desvalorizado. Dentro das suas limitações, é um grupo que sempre buscou honrar a camisa. Quem acompanha o dia a dia sabe que esse grupo foi homem para caramba — disse o zagueiro.