Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Casas de apostas firmam parceria com entidade para garantir 'integridade' do esporte

IBJR afirmou que os sites defendem a regulamentação da atividade no Brasil

Lance|

A semana ficou marcada pelo escândalo da manipulação de apostas no futebol brasileiro, denunciado pelo Ministério Público de Goiás. Após a repercussão do caso, o Instituto Brasileiro de Jogo Responsável emitiu nota oficial e revelou ter feito uma parceria com uma entidade para "garantir a integridade do esporte".

" Em relação às recentes investigações de manipulação de resultados, o Instituto Brasileiro de Jogo Responsável (IBJR) vê a regulamentação do setor de apostas esportivas no Brasil como essencial para a segurança de apostadores, esportes e operadores, de forma que possam contribuir para o crescimento do país. Os membros da IBJR têm experiência em colaborar com órgãos reguladores e outras autoridades relevantes com o objetivo comum de garantir a integridade do esporte.

Nesse sentido, o IBJR firmou, nesta semana, uma parceria com a International Betting Integrity Association (IBIA) para desenvolver projetos que garantam a integridade do esporte brasileiro e já apresentou os representantes da IBIA às autoridades responsáveis pelas investigações, para que possam trabalhar em conjunto. O objetivo é implementar ações que preservem a segurança e a integridade dos operadores, do esporte e dos apostadores, reforçando o papel das apostas esportivas como entretenimento", trouxe a nota do instituto.

+ Neto crava campeão brasileiro: ‘Uns 15 pontos na frente do segundo colocado’

Publicidade

O IBJR é formado por casas de apostas, como: Bet365, Flutter, Entain, Betsson Group, Betway Group, Yolo Group, Netbet Group, KTO Group e Rei do Pitaco.

Nesta semana, uma investigação do Ministério Público de Goiás listou pelo menos 13 partidas com suspeita de esquema de manipulação. Oito jogos seriam da Série A do Campeonato Brasileiro de 2022, além de um da Série B e quatro em estaduais neste ano.

Publicidade

+ Cupom LANCEFUT com 10% OFF para os fanáticos por esporte em compras acima de R$299,90

Na Operação Penalidade Máxima, os jogadores acusados são: Eduardo Bauermann, do Santos; Gabriel Tota, do Ypiranga; Victor Ramos, da Chapecoense; Igor Cariús, do Sport; Paulo Miranda, do Náutico; Fernando Neto, do São Bernardo; e Matheus Gomes, do Sergipe.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.