Lance Carta lendária de Ronaldo Fenômeno no FIFA 21 é vendida por R$ 14 mil no mercado ilegal

Carta lendária de Ronaldo Fenômeno no FIFA 21 é vendida por R$ 14 mil no mercado ilegal

Denúncia foi feita por um usuário anônimo no Twitter na última quarta-feira

Lance
Lance

Lance

Lance

Um usuário anônimo do Twitter expôs um esquema dentro da EA Sports na última quarta-feira. Ele, através do perfil "@FutArcade", denunciou um suposto funcionário da empresa que vendia por fora cartas lendárias do modo Ultimate Team, do FIFA 21, por preços surreais. Por exemplo, a melhor versão do Ronaldo Fenômeno no game poderia custar cerca de US$ 2,5 mil (R$ 14 mil na cotação atual).


>> Veja a tabela do Campeonato Paulista

O suposto funcionário, segundo as denúncias, garantia ao comprador que o envio de Icons e cartas especiais como TOTY (Time do Ano) não resultaria em um banimento, o que acontece com quem compra moedas. Como aparece nos prints, ele pede apenas o ID da PSN e da EA para que faça o envio pelo sistema da empresa.

Entre as cartas raras dentro do Ultimate Team oferecidas, na melhor versão possível, o meia holandês Ruud Gullit custa US$ 1 mil (R$ 5,5 mil). O suposto funcionário da EA faz até pacotes com Icons e TOTYs que podem chegar a € 1 mil (R$ 6,6 mil).


Depois da denúncia e muitas críticas, a EA Sports se manifestou oficialmente. Em nota, a desenvolvedora vai investigar internamente o ocorrido e reitera que essa ação é inaceitável e desbalanceia o Ultimate Team.

Confira abaixo, em português, a nota da EA Sports:

"Estamos cientes das alegações circulando dentro da nossa comunidade relacionadas a itens do Ultimate Team do FIFA 21. Uma minuciosa investigação está à caminho, e se nós identificarmos uma conduta imprópria, vamos tomar uma ação rápida. Nós queremos ser claros - esse tipo de comportamento é inaceitável, e nós não vamos perdoar o que é alegado ter acontecido aqui. Nós entendemos como isso cria preocupações sobre desbalanceamento no jogo e na competição. Vamos atualizar a comunidade assim que esclarecermos a situação.".

Últimas