Brasil disputa qualificatório por vagas olímpicas no taekwondo

Talisca Reis (até 49kg), Milena Titoneli (até 67kg), Edival Pontes, o Netinho (até 68kg) e Ícaro Miguel (até 80kg) são as apostas do país. Competição distribuirá 16 vagas em Tóquio-2020

Lance

Lance

Lance

O taekwondo brasileiro buscará entre esta quarta e quinta-feira a classificação para os Jogos Olímpicos de Tóquio-2020 no qualificatório das Américas, em Heredia, na Costa Rica. O torneio distribui 16 vagas, aos finalistas das quatro categorias masculinas e quatro femininas.

O Brasil terá quatro nomes na competição, que será a única chance de o país se garantir no evento, uma vez que, pelo ranking, os atletas não conseguiram nenhuma vaga: Talisca Reis (até 49kg), Milena Titoneli (até 67kg), Edival Pontes, o Netinho (até 68kg) e Ícaro Miguel (até 80kg). Se todos eles obtiverem suas vagas, o país igualará sua melhor delegação na história dos Jogos.

Em 2019, os brasileiros tiveram um ano de destaque na modalidade. Milena faturou o ouro no Pan de Lima e o bronze no Mundial. Netinho levou o ouro no Peru, enquanto Talisca ficou com a prata na ocasião. Ícaro garantiu a prata tanto no Pan quanto no Mundial.

O taekwondo garantiu uma das medalhas do Brasil nos Jogos Rio-2016, com o bronze de Maicon Andrade (87kg). O atleta, no entanto, ficou fora da delegação do Pré-Olímpico e não poderá lutar em Tóquio.

A Confederação Brasileira de Taekwondo (CBTKd) só poderia levar quatro atletas ao torneio continental e o mineiro, embora tivesse a mesma colocação no ranking que outros escolhidos, não se enquadrou em outros critérios estabelecidos, de acordo com a entidade. Foram levados em conta, por exemplo, o nível dos torneios, o ranking e a quantidade de participantes.