Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Brasil 2027? Conmebol inaugura espaço na Austrália e afirma desejo de sediar próxima edição da Copa do Mundo Feminina

Local criado pela entidade mostra apoio às seleções femininas sul-americanas no Mundial

Lance|

Lance
Lance Lance

A Conmebol inaugurou, nesta terça-feira, um espaço em Sydney, na Austrália, voltado para a expansão da marca e disputa da Copa do Mundo Feminina. O local, intitulado "Footsteps of Pasion" - traduzido como "passos da paixão" -, traz uma pequena quadra disponível para os turistas desfrutarem e jogarem futebol. O presidente da entidade, Alejandro Domínguez, esteve presente no evento.

- Inauguramos oficialmente o nosso espaço "Footsteps of Passion" em Sydney, na Austrália. Agradeço às autoridades presentes por nos acompanhar neste momento tão especial para o futebol feminino sul-americano. Nosso compromisso se traduz em não fazer distinções no futebol. O futebol é futebol porque não importa quem jogue, se transmite a mesma paixão inquebrantável que invoca o futebol sul-americano - afirmou o mandatário em suas redes sociais.

No discurso de inauguração, Alejandro afirmou o desejo de trazer a Copa do Mundo Feminina de 2027 para o Brasil, que vem tendo um grande desenvolvimento no esporte das mulheres ano após ano. Além disso, o Mundial de 2030 também pode vir parar na América do Sul.

+ Torça pela nossa Seleção Feminina com camisas a partir de R$29,90

Publicidade

- Queremos tomar a oportunidade para anunciar a que intenção não é somente abrir portas e mostrar nossa cara por aqui. A intenção é afirmar que estamos prontos para trazer a Copa do Mundo Feminina de 2027 ao Brasil e em 2030 sediar a Copa masculina, onde tudo começou cem anos antes. Queremos que o mundo veja que na América do Sul, a magia do futebol atravessa países. O futebol integra e nos identifica, é uma parte essencial de nossa cultura - disse Domínguez.

Para sediar o Mundial de 2030, a Conmebol deve apoiar o combinado de quatro países: Argentina, Uruguai, Paraguai e Chile. A principal adversária deve ser a parceria de Espanha, Portugal e Marrocos. A Arábia Saudita também tinha o desejo de receber a mesma competição, mas a federação nacional entendeu que será difícil competir com combinados de nações e deve focar na candidatura para a edição seguinte, em 2034.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.