Lance Bicampeãs olímpicas Martine Grael e Kahena Kunze retornam ao Brasil: 'Sensação de dever cumprido'

Bicampeãs olímpicas Martine Grael e Kahena Kunze retornam ao Brasil: 'Sensação de dever cumprido'

Parte da delegação da vela chegou ao país na madrugada desta sexta-feira após o ouro no 49erFx, nos Jogos Olímpicos de Tóquio

Lance
  • Lance | por Lance

Lance

Lance

Lance

A maior parte dos atletas e treinadores da Equipe Brasileira de vela nos Jogos Olímpicos de Tóquio desembarcou no Brasil na madrugada desta sexta-feira. Depois de quase 24 horas de viagem, o grupo liderado pelas medalhistas de ouro Martine Grael e Kahena Kunze chegou ao Aeroporto Internacional de Guarulhos e fez as primeiras entrevistas coletivas.


+ Recorde histórico batido! Confira as medalhas do Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio


Além das bicampeãs olímpicas da 49erFx, voltaram ao Brasil as duplas Samuel Albrecht e Gabriela Nicolino (Nacra 17) e Marco Grael e Gabriel Borges (49erFx), além de Jorge Zarif (Finn). Este último ficou na capital paulista, onde reside.

Martine Grael e Kahena Kunze foram as mais aplaudidas. Após uma rápida coletiva em Guarulhos, a dupla foi recepcionada no Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, no fim desta manhã.

A agenda seguiu cheia com coletiva no C.T. do Time Brasil e entrevistas para emissoras de TV da capital fluminense. No fim da tarde, foi realizado um desfile em carro de bombeiros até Niterói com as vencedoras da classe 49erFx em Tóquio 2020.

+ Isaquias Queiroz quer ser campeão do C1 1000m: 'Vou vomitar sangue pelo ouro'

- Nem sei que horas são, se é dia ou noite - brincou Kahena Kunze.

- Essa medalha foi especial. Estávamos com um pouco mais de pressão por sermos as atuais campeãs. E não era uma Olimpíada em casa. Na Rio-2016 era a estreia da classe nos Jogos e foi na nossa área. A gente soube lidar com tudo isso - completou.

A dupla Martine Grael e Kahena Kunze ainda vai receber muitas homenagens e terá o merecido tempo de descanso antes de projetar uma nova campanha olímpica. Agora é curtir a família após cinco anos de treinos e competições entre Rio-2016 e Tóquio-2020.

- Olimpíada fora de casa você passa muito longe. E não tem aquela galera na hora de comemorar. Batalhamos muito para chegar em nível competitivo naquela final. É sensação de dever cumprido - afirmou Martine Grael.

Mãe de Marco e Martine, Andrea Soffiatti Grael era só alegria na chegada para receber os pupilos e os amigos da Equipe Brasileira de Vela. A velejadora e ambientalista destacou a perseverança dos filhos para atingir os resultados.

- É uma emoção enorme, maior ainda pela força de vontade e persistência delas. Agora é legal ver esse resultado - disse ela.

- Foi uma Olimpíada dura de acompanhar pela diferença grande do fuso horário, mas tivemos um final feliz. Foi o ótimo resultado da Martine e da Kahena, além de todos os outros representantes. Estamos preparando um festa em Niterói para as nossas meninas douradas - contou Axel Grael, prefeito da cidade de Niterói, no Rio de Janeiro, e tio de Martine e Marco.

Veja abaixo o quadro de medalhas dos Jogos Olímpicos de Tóquio:

Últimas