Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Esporte - Notícias sobre Futebol, Vôlei, Fórmula 1 e mais
Publicidade

Bia Haddad vibra com semi em Roland Garros: 'Estou vivendo um sonho'

Beatriz Haddad Maia comemorou o triunfo e vaga inédita na semifinal de Roland Garros

Lance

Lance|Do R7


Lance
Bia Maia em Roland Garros / Crédito: FFT

Em entrevista à ESPN logo após a vitória nas quartas de final de Roland Garros, Beatriz Haddad Maia comemorou e descreveu seus sentimentos. Ela bateu a tunisiana Ons Jabeur por 3/6 7/6 (7/5) 6/1 após 2h29min.

"Sobre nao ter passado pela 2ª rodada...desde o começo da carreira passei por muitas barreiras, primeiro título de future, primeiras vitórias, entrada no top 100, top 50, top 20, fui me consolidando, nunca fui um fenômeno, sempre tive que trabalhar", disse a brasileira que antes deste torneio jamais tinha alcançado a terceira rodada de um Grand Slam.

Ela quebrou outra barreira que foi bater a tunisiana Ons Jabeur o qual tinha perdido duas vezes, a última levando um pneu.

"A Ons eu respeitava muito, tomei 6/3 6/0. É uma quadra grande, falei para não me acomodar no segundo set apesar de tomar os drop shots de seguir firme. Estou vivendo um sonho que trabalhei duro para estar aqui. Estou muito feliz," contou a emocionada brasileira.

Publicidade

"Era muito importante mudar a direção, ir pra frente, ter coragem. Tinha que mudar a altura, era dificil não é é fácil entrar na bola. Tinha outros fantasminhas também, hoje consegui sacar melhor, fui muito disciplinada. Agora já passei por todas as experiencias nesse torneio, jogar bem, não jogar tão bem e agora vamos ver até onde vai isso né".

Bia Haddad volta a jogar nesta quinta-feira contra a polonesa Iga Swiatek, número 1 do mundo, ou a americana Coco Gauff, sexta colocada.

A brasileira comentou sobre a parte física em como se recuperou após a batalha de 3h51min contra a espanhola Sara Sorribes: "Em Grand Slams temos a chance de se recuperar, temos um Day Off, temos um time incrível, meu fisio está aqui, pudemos trabalhar na recuperação, meu técnico na minha cabeça . Lembro que no meio do jogo meu treinador olhou e me mostrou o relógio, tinha pouco mais de uma hora de hoje, então tinha tempo, precisava ficar paciente nos golpes pois ela é uma ótima jogadora, uma das melhores do mundo. Estou muito orgulhosa de mim e de minha equipe", seguiu a brasileira na entrevista para Alex Corretja na quadra.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.