Lance Barty domina Giorgi e encara algoz de Osaka nas 8ªs do Australian Open

Barty domina Giorgi e encara algoz de Osaka nas 8ªs do Australian Open

Número 1 do mundo segue firme e faz jogo-treino com arquibancadas cheias

Lance
Lance

Lance

Lance

A australiana número 1 do mundo, Ashleigh Barty, segue firme em sua campanha em busca de título inédito do Australian Open e não tomou conhecimento da italiana Camila Giorgi, 33ª, e está nas oitavas de final, encara algoz de Naomi Osaka.

Barty precisou de 1h01para fechar o placar em 6/2 6/3 tendo convertido os quatro aces da partida, que cometeu duas duplas-faltas contra cinco da italiana, que cometeu 24 erros não-forçados contra 13 da consistente australiana, que disparou 11 bolas vencedoras contra oito de Giorgi.

Contando com apoio massivo na Rod Laver Arena, Barty entrou em quadra com a tática de evitar que adversária pegasse ritmo de bola e assim, abriu 3/0 com quebra no 2º game e foi administrando. Giorgi ainda tentou pressionar, abriu um 0-40 no 7º game, no que Barty chamou após a partida na entrevista em quadra de "momento de truque, que poderia mudar a partida", mas salvou os três breakpoints e quebrou a adversária na sequência para fechar a parcial.

Nas segunda etapa, Barty manteve a solidez, venceu seus games de saque com tranquilidade, quebrou a adversária em sua primeira oportunidade no 6º game e administrou, fechando a partida com um game de zero.

"A forma como ela (Giorgi) bate na bola é incrível, meu trabalho era não me manter na linha de base, trabalhar com slice e tentar fazê-la andar em quadra. Acho que consegui imprimir a tática e fazer bem meu jogo", analisou em entrevista ao ex-número 1 do mundo Jim Courier ainda em quadra.

Em busca de vaga nas quartas de final, Barty encara a americana Amanda Anisimova, algoz da atual bicampeã do Australian Open, a japonesa Naomi Osaka. Sobre a possível adversária, Barty analisou: "As duas são incríveis jogadoras. ambas controlam bem o jogo no meio em quadra, podem dominar os pontos e são agressivas quando há possibilidade. Naomi é um pouco mais agressiva. Amanda responde bem no fundo de quadra. Elas são um pouco diferentes, requerem táticas diferentes, mas eu posso trabalhar bem com o meu slice, buscar manter meu jogo e dar meu melhor para buscar vencer", pontuou.

Últimas