Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Esporte - Notícias sobre Futebol, Vôlei, Fórmula 1 e mais
Publicidade

Azarenka se irrita com pergunta política sobre ato de pai de Djokovic

Bielorrussa foi questionada e não gostou nada. Ela comentou também a derrota na semi do Australian Open

Lance

Lance|Do R7


Lance
Tennis Australia

A bielorrussa Victoria Azarenka, número 24 do mundo, se irritou ao ser perguntada sobre o ato político do pai de Novak Djokovic, Srdjan, na noite de quarta-feira. Ele foi filmando posando para fotos e dizendo "viva os russos" com manifestantes pró-Rússia.

Tudo isso aconteceu em Melbourne Park, no Australian Open. Inclusive um dos manifestantes junto de Srdjan seguravam uma bandeira do país com a foto de Vladmir Putin. Azarenka é bielorrussa e seu país é parceiro dos russos também na guerra na Ucrânia. Ao ser questionada por um jornalista, ela respondeu.

"Não sei o que isso tem a ver com Novak. Não sei o que você quer que façamos. Falar sobre isso? Não sei qual é a motivação para que isso seja divulgado continuamente. São incidentes que não tem nada a ver com os jogadores, mas você continua colocando os jogadores neles. A resposta que eu te der, seja ela qual for, você vai interpretar como quiser. Eu sou uma atleta e você está me perguntando coisas que você pode pensar que está sob meu controle, mas eu não. Não, eu sei o que você quer que eu responda: se for uma pergunta provocativa, você mudará de qualquer maneira", disse.

Azarenka foi derrotada por 7/6 (7/4) 6/3 diante da cazaque Elena Rybakina e disse: "É difícil digerir a derrota. Tive oportunidades que não soube aproveitar. Não posso dizer que estou muito feliz com a forma como joguei. Estou orgulhosa de mim mesmo, de como lutei e tentei. Meu tênis não estava presente, principalmente nos momentos importantes. Não é um grande sentimento para digerir agora. Eu algumas horas e posso ter uma perspectiva melhor deste mês na Austrália e esperar pelo resto do ano."

Publicidade

“Eu estava bastante confortável com a devolução. Ela saca bem, fez saques diretos. Isso sempre vai acontecer. No geral, senti que ele controlava muito bem seu saque. Alguns tiros depois, ele não estava se ajustando bem. Algumas bolas vieram lentas, outras rápidas. Eu não estava me concentrando no que tinha que fazer. Eu interpretei mal muitas bolas. A qualidade não estava lá. Não senti que ela fosse intocável com seu saque. Nas longas trocas, senti que estava dominando. Assim que consegui movê-la, me senti bastante confiante. Os dois primeiros golpes não estavam lá hoje."

A tenista afirma como irá digerir a derrota e fala no tempo que cura: "O tempo é sempre um bom remédio. Não penso muito nas coisas. Minha mentalidade mais objetiva me ajuda. É apenas um dia em que meu jogo não ganhou. Isso o motiva porque quer dar um passo adiante. Ele ensina o que você pode fazer melhor da próxima vez.”

A bielorrussa bicampeã do torneio em 2012 e 2013 elogiou Rybakina: "Ela é uma grande jogadora, com grandes armas. Se melhorar alguns aspectos, será muito melhor. Não teve consistência ao longo do ano até agora. Estou interessada em ver onde ele estará em cinco anos."

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.