Avaliação de mercado e confiança ao grupo: como o Vasco vai agir na busca por reforços

Cruz-Maltino está parado nas negociações por conta da pandemia do novo coronavírus e analisa com cautela o elenco por movimentos certeiros

Lance

Lance

Lance

Com o futebol parado por conta da pandemia do novo coronavírus, o mercado da bola também não se movimenta. Mesmo precisando de reforços, o Vasco ainda aguarda o desenrolar da situação no Brasil para iniciar ou avançar em qualquer conversa com novos atletas. Mais do que isso. Aguarda as definições da nova comissão técnica para definir a busca por atletas.

O responsável por levar as necessidades e possíveis nomes para a diretoria será o novo treinador Ramon Menezes. Ele já tem uma noção inicial do que imagina que seja preciso para que a equipe renda melhor após o retorno das atividades. Entretanto, há um entendimento da comissão de que é preciso primeiro dar mais tranquilidade e confiança ao grupo que já está no Cruz-Maltino.

Há ainda o entendimento geral de que o Vasco não pode errar ao contratar nomes para o grupo. Com pouco poder financeiro e uma situação ainda mais delicada com os enormes prejuízos causados pela pandemia, o clube quer tiros certeiros. Até o momento, Germán Cano e Fredy Guarín se mostraram acertos e são importantes para os rumos do time em campo. Martín Benítez teve poucas chances de se mostrar.

- Falo com o Ramon diariamente sobre o que achamos necessário. Ele tem várias ideias por ter acompanhado o grupo de perto. No primeiro momento não podemos pensar muito nas mudanças, contratações, o time tem muita qualidade. Tendo a utilização de alguns aspectos do jogo, intensidade, compactação, colocar atletas onde eles rendem mais e se sentem a vontade. O Ramon já tem isso mapeado e vai conversar com a diretoria sobre reforços - disse Thiago Kosloski, auxiliar técnico, na apresentação pela VascoTV.

O conhecimento de Ramon sobre o elenco pode e deve ajudar, especialmente após esse período sem jogos, quando o tempo de preparação até a retomada da temporada deverá ser curto. Entre as prioridades está rever o modelo de jogo utilizado anteriormente e repensar as posições em que cada jogar vai atuar para que ele se sinta o mais confortável possível. Entre esses casos estão, por exemplo, Marrony e Andrey.

O atacante começou o ano pela direita e acabou deslocado para a esquerda, onde teve melhor rendimento, com a lesão de Talles Magno e a entrada de Vinícius. Já o volante é um dos destaques da temporada, mas tem mais experiência quando joga de segundo volante e não de primeiro, como vinha acontecendo com Abel Braga.