Lance ATP escolhe os melhores jogos da temporada

ATP escolhe os melhores jogos da temporada

Vitória de Djokovic sobre Alcaraz na final de Cincinnati foi eleito o maior jogo do ano

Lance

A Associação dos Tenistas Profissionais escolheu os melhores jogos da temporada de 2023 dos torneios do guarda-chuva da entidade, ou seja, sem ser os Grand Slams e a Copa Davis.

O jogo do ano foi a vitória épica de Novak djokovic contra Carlos Alcaraz na final do Masters 1000 de Cincinnati por 5/7 7/6 (9/7) 7/6 (7/4).

Um clássico instantâneo disputado pelos dois melhores jogadores do circuito em batalha de 3h49min. Djokovic descreveu como “uma das partidas mais difíceis que já joguei na minha vida”, e que foi a final melhor de três mais longa em História da ATP (desde 1990).

Com Djokovic lutando fisicamente no calor de Cincinnati, Alcaraz parecia pronto para avançar para a vitória quando liderou por um set e um break no ATP Masters 1000. Mesmo assim, Djokovic, de 36 anos, elevou seu nível em uma impressionante demonstração de resiliência física e fortaleza mental, salvando match-point no 5/6 no tie-break do segundo set antes de superar seu oponente mais jovem para ganhar o 39º título do Masters 1000, ampliando o recorde.

“É inacreditável”, disse Djokovic depois. “Do começo ao fim, nós dois passamos por muita coisa. Tantos altos e baixos, altos e baixos, pontos incríveis, jogos ruins, insolações, voltas. No geral, foi uma das partidas mais difíceis e emocionantes das quais já participei e esses são os tipos de momentos e partidas pelos quais continuo trabalhando dia após dia.”

Alcaraz, que desempenhou um papel significativo numa das grandes finais de sempre do ATP Tour, soube apreciar a ocasião, mesmo na derrota: “É fantástico jogar contra vocês, partilhar o campo convosco, aprender convosco”, Alcaraz disse ao seu oponente durante a cerimônia do troféu. “Essa partida foi muito disputada, mas aprendi muito com um campeão como você.”

O segundo jogo do ano foi a vitória de Jannik Sinner na fase de grupos do ATP World Finals sobre Djokovic por  7/5 6/7 (7/5) 7/6 (7/2).

Sinner atribuiu ser “realmente corajoso” em momentos-chave como o fator mais importante ao quebrar a seqüência de seis vitórias consecutivas de Djokovic na competição. Talvez mais significativo para o favorito da casa, foi a sua primeira vitória contra o número 1 do mundo em quatro encontros no circuito.

“Isso significa muito para mim”, disse Sinner, que fez um saque que igualou o sérvio e esmagou a bola com sua força característica desde a linha de base durante o encontro de três horas e nove minutos. “Quando você vence o número 1 do mundo, que venceu 24 Grand Slams, obviamente está no topo (dos resultados da minha carreira)... Achei que era uma partida realmente tática e consegui vencer, então eu ' estou muito feliz."

Previsivelmente, a vitória histórica de Sinner contra Djokovic, que ele selou diante de uma multidão barulhenta, não foi fácil. O sérvio recuperou a quebra imediatamente com 2 a 4 na decisão, antes de forçar o italiano a manter a calma no tie-break do terceiro set. Sinner, de 22 anos, fez exatamente isso, marcando os primeiros cinco pontos para assumir o controle antes de fechar uma partida em que os jogadores acertaram 35 aces combinados.

O terceiro melhor jogo do ano foi outra vitória de Sinner, contra Carlos Alcaraz na semi de Miami por 6/7 (7/4) 6/4 6/2. O quarto maior jogo a vitória de Djokovic na final do ATP 250 de Adelaide, na Austrália por 6/7 (10/8) 7/6 (7/3) 6/4, salvando match-point. O quinto jogo foi o triunfo de Daniil Medvedev sobre Alexander Zverev no Masters 1000 de Indian Wells por 6/7 (7/5) 7/6(5) 7/5.

Últimas