Atlético-MG crtítica FIFA e oferece suas instalações para ajudar a combater a pandemia de coronavírus

O alvinegro entrou na onda de solidariedade para ajudar a reduzir os casos da Covid-19 em Minas Gerais. Também houve críticas à FIFA pela omisão neste momento de crise

Lance

Lance

Lance

O Atlético-MG entrou na onda da solidariedade para combater a pandemia mundial de coronavírus. O clube mineiro fez contato com a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais para colocar à disposição suas dependências para servir como locais de atendimento médico. O time atleticano disponibilizou a Cidade do Galo e e os clubes de lazer para a instalação de hospitais de campanha.

O vice-presidente do Atlético, Lásaro Cândido da Cunha, afirmou, em entrevista à ESPN Brasil que é hora dos clubes ajudar ainda mais a sociedade neste momento de crise. O Brasil já registrou 167 mortes em razão da Covid-19, sendo duas em Minas Gerais.

-Nós oferecemos as nossas dependências para a saúde pública. O Atlético tem muitas propriedades, o melhor centro de treinamentos do mundo e dois clubes de lazer. Em um deles, há auditório enorme, oferecemos à Secretaria de Estado para que faça uma visitação para que consiga instalar um hospital transitório. Precisamos ajudar, são milhares de pessoas nas comunidades carentes em BH, até agora não fizemos nada. O governo estadual, federal, tem que ajudar nisso, assim como os clubes-disse Lásaro.

Lásaro criticou a FIFA pela omissão neste momento e receia que vários clubes possam sofrer impactos irreversíveis .

-O drama vai aumentar, vamos sofrer as consequências e o impacto será enorme. Creio que dezenas, centenas de clubes vão desaparecer. É preciso ter responsabilidade, adotar as medidas e não postergar. Para isso, precisamos do apoio de todos, jogadores, funcionários e da torcida. Acabamos de lançar o novo programa de sócios Galo na Veia e peço aos torcedores que continuem colaborando para atravessarmos essa fase juntos-disse o vice atleticano, que foi mais incisivo ao citar o papel da FIFA neste momento.

-É lamentável, mas onde está a FIFA? A CBF precisa fazer um plano emergencial. Milhares de clubes têm contrato com jogadores até maio, agora eles não sabem o que fazer. Se não houver atuação, e não é preciso muito dinheiro, mas é preciso urgentemente um plano de ação para esses clubes. O futebol brasileiro sobrevive com revelação de jogadores nascidos em comunidades humildes. Nós precisamos salvar o futebol brasileiro, urgente, a CBF precisa estabelecer alguma ajuda concreta para esses clubes. O Atlético tem parcerias com alguns clubes e os ajuda. Mas temos os nossos problemas e não conseguimos resolver todos. Isso é urgente- concluiu.