Árbitro paralisa jogo da Copinha duas vezes após gritos homofóbicos

Goleiro Túlio, do Sport, foi hostilizado na partida contra o Audax e Sport. O juiz Thiago Luis Scarascati relatou na súmula e chegou a acionar Polícia

Juiz Thiago Luis Scarascati parou duas vezes jogo entre Audax e Sport

Juiz Thiago Luis Scarascati parou duas vezes jogo entre Audax e Sport

Lance

Gritos homofóbicos foram registrados durante a partida entre Audax-SP e Sport, na noite da última quinta-feira, em partida da Copa São Paulo de Futebol Júnior. O árbitro Thiago Luis Scarascati relatou, em súmula, a situação, que chegou a paralisar por duas vezes o confronto.

Os gritos teriam sido feitos pela torcida do time paulista e o juiz afirmou ter acionado os policias do estádio. Contudo, o goleiro Túlio seguiu sendo alvo dos torcedores.

- Aos cinco minutos do segundo tempo paralisei a partida devido a torcida do Grêmio Osasco Audax E. C. entoar gritos homofóbicos "O BICHA", quando o goleiro da equipe do Sport Club do Recife cobrava o tiro de meta, avisei então ambos os capitães bem como ambos os treinadores, o motivo da paralisação. O capitão da equipe do Grêmio Osasco pediu aos torcedores que não realizassem tal ato - escreveu o árbitro, que finalizou:

- Aos seis minutos e 30 segundos do segundo tempo ocorreu novamente a situação acima citada, paralisei novamente a partida e pedi ao policiamento a possibilidade de um suporte fora do campo para controlar a situação, nesse momento o sistema de som comunicou aos torcedores para que os atos fossem cessados, causando assim um efeito positivo aonde pudemos seguir o jogo até o seu fim – escreveu o árbitro do confronto na súmula.

Acionando o protocolo definido pela Confederação Brasileira de Futebol, em agosto de 2019. Além disso, ainda ano passado, o Supremo Tribunal Federal classificou homofobia como crime. A partida, que terminou empatada em 0 a 0, eliminou o Audax da Copinha, enquanto o Leão chegou na segunda colocação do Grupo 28.

Curta a página do R7 Esportes no Facebook. 

Paquetá, Pedro e outros brasileiros 'não decolam' na Europa. Relembre